in

Bolsonaro causa impacto ao falar sobre situação do país em conversa com apoiadores: ‘O Brasil está quebrado’

Presidente ainda fez fortes acusações aos veículos de imprensa ao mencionar pandemia do coronavírus.

UOL

O cenário de pandemia continua assolando a população em larga e tem crescido nas últimas semanas. Economicamente, o país encontra fortes dificuldades de reagir, situação que deve ficar ainda mais delicada com o término do Auxílio Emergencial, que ajudou quase 68 milhões brasileiros. Diante do momento em que o país vive, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu uma forte declaração nesta terça-feira (5), em sua saída para o Palácio do Planalto.

Publicidade

Indo para mais um dia de trabalho, o chefe do Executivo não hesitou ao dizer para um grupo de apoiadores que o “Brasil está”, e que diante desta situação, ele não consegue “fazer nada”.

Abordado por um apoiador na saída de residência presencial, Bolsonaro fez uma avaliação do momento vivido pelo país, e ainda atacou novamente a imprensa, acusando os veículos de comunicação de “potencializar” a Covid-19. 

Publicidade


“Chefe, o Brasil está quebrado, chefe. Eu não consigo fazer nada. Eu queria mexer na tabela do Imposto de Renda, teve esse vírus potencializado pela mídia que nós temos aí, essa mídia sem caráter”,
disse o presidente ao apoiador. De acordo com o consórcio de imprensa, o Brasil já acumula mais 196 mil mortes em decorrência da Covid-19, e o índice segue em crescente.

Publicidade

Imposto de Renda

A alteração na tabela do Imposto de Renda que Bolsonaro mencionou havia sido uma promessa durante a campanha dele pela presidência do país. Atualmente, a faixa de isenção é de R$ 1.903,98, sendo que a última atualização foi feita em 2015. No final de 2019, o chefe do Executivo defendeu que a isenção fosse ampliada para a casa dos R$ 3 mil. 

Publicidade

E o Auxílio Emergencial?

Após o término do cronograma de pagamentos previsto para o benefício, os brasileiros vivem a expectativa do benefício ser continuado em 2021. Apesar de alguns projetos de lei já terem sido protocolados no Congresso Nacional, Bolsonaro e sua equipe econômica já afirmaram que o Auxílio Emergencial não será estendido novamente. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade