in

Depressão pós-parto é muito comum e alguns sinais indicam o tratamento

Perceba os sinais que são sutis, mas podem identificar a depressão pós-parto na mulher.

Uol

A maternidade é um dos períodos mais felizes da vida da maioria das mulheres. A gestação possui todo o encanto e expectativa a respeito da chegada do bebê. A família realiza todo um preparativo, compra enxoval e prepara o quartinho do bebê, mas existe uma doença psicológica que tem afetado muitas mães no período pós-parto. A depressão pós-parto é muito severa e pode representar um risco para a saúde da mãe e do bebê. Não se sabe ao certo as causas dessa doença, mas existe tratamento quando identificada precocemente.

Publicidade

A depressão pós-parto é um transtorno psicológico que tem tratamento

É muito importante que a família esteja atenta aos sinais presentados pela mãe. Um dos principais sintomas da doença é uma tristeza profunda e aparentemente sem motivo, já que o bebê nasceu e precisa de cuidados. A tristeza é característica de qualquer depressão e deve ser observada com cuidado.

Outro sintoma que também pode ocorrer é a falta de interesse da mãe por atividades que, antes do nascimento do bebê, ela apreciava. Se ela gostava de caminhar, bordar, pintar ou fazer qualquer tipo de atividade e agora está entregue ao cotidiano e sem ânimo para fazer nada, fique atento.

Publicidade

A dificuldade de criar laços com o bebê também é um indício de que a mãe desenvolveu depressão pós-parto. Essa condição mental de depressão acaba fazendo com que a mulher tenha pouco interesse pelo bebê e, com isso, acaba não gerando sentimentos pela criança. E isso pode ser muito perigoso.

Publicidade

É necessário o apoio da família

Esse transtorno acaba gerando na mulher um peso muito grande em manter um relacionamento saudável com as pessoas, então ela acaba cortando laços com a família e os amigos; isso deve ser observado e tratado adequadamente, para que a mãe se restabeleça.

Publicidade

Também pode acontecer um cansaço extremo em que a mãe não consegue realizar as atividades cotidianas, além de alteração de apetite e dificuldade para se concentrar. O apoio da família é fundamental para que aconteça o tratamento da doença.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Tatiane Braz

Estudante, escritora e apaixonada pela verdade, tenho como meta levar a notícia de forma clara e real. Amo ler e percebo a cada dia que um mundo melhor se faz quando o conhecimento que adquirimos é colocado em prática.