in

Corpo de padre é encontrado em decomposição no Pará e mistério toma conta; fiéis estão desolados

Religioso foi encontrado sem vida no chão do quarto; havia sangue na cama e vestígios de que ele não estava só.

G1

Os moradores da cidade de Santarém, situada no Oeste do Pará estão de luto. Neste domingo (3), o corpo de um homem foi encontrado em uma residência no bairro Bela Vista do Juá. A pessoa em questão era José Ronaldo Brito, de 37 anos, padre na Paróquia Santo Antônio de Pádua, localizada em Belterra, e coordenador da Pastoral Carcerária da Arquidiocese de Santarém. 

Publicidade

De acordo com a tenente da Polícia Militar, Graciete Queiroz, a sua equipe foi acionada para atender a ocorrência por volta das 12h do último domingo (3), na rua Monte Sião.

“Quando chegamos a Polícia Civil já tinha feito os primeiros levantamentos e acionado a perícia para descobrir o que aconteceu”, afirmou Graciete em entrevista ao portal G1.

Publicidade

Presente no local, uma equipe do Instituto Médico Legal (IML) fez a remoção do corpo, que aparentemente já estava na residência em óbito ao menos dois dias, em franco estado de decomposição. 

Publicidade

Também em entrevista ao G1, o perito criminal, Elinaldo Silva, afirmou que na análise inicial do corpo não havia sido encontrado nenhum ferimento no religioso, principalmente pelo fato do corpo já estar em decomposição. 

Publicidade

A equipe realizou uma varredura em todo o local e coletou material para análise. O corpo do padre José Ronaldo será submetido a uma necropsia para ser identificada a causa da morte. 

Problemas cardíacos

Segundo o perito responsável pelo caso, há relatos de que o religioso apresentava quadro de problemas cardíacos e pressão arterial. 

Cena encontrada

José Ronaldo Brito foi encontrado sem vida no chão do quarto da residência. Na cama, havia sangue. De acordo com o Instituto Médico Legal havia pratos sujos no local, o que evidencia que houve algum tipo de “comemoração” nas festividades de fim de ano, e sinaliza que a vítima estava acompanhada. O caso segue sob investigação. 

Publicidade