in

Médico de Manaus desabafa e comove com apelo: ‘Não tem mais leito, não tem mais UTI, não tem mais corredor’

O estado do Amazonas está vivendo uma situação caótica como a do princípio da pandemia.

G1/Montagem Renato de Almeida

Um médico fez um desabafo desesperado sobre a real situação da Covid-19, no estado do Amazonas. Filipe Shimizu comoveu ao relatar o drama que tem sido a questão do vírus. Ele usou a rede social para compartilhar o vídeo que expõe a situação caótica da pandemia do novo coronavírus no local.

Publicidade

“Em questão de 48h, 72h, esgotamos os leitos da rede particular de UTI, de enfermaria, e de internação. A gente está se virando como pode para receber os pacientes com Covid. (…) Muitos, muitos casos novos. E que infelizmente estão evoluindo para uma necessidade ventilatória mais avançada. É devastador não ter material suficiente, não ter leito para esse pessoal esperar (…)“, diz o médico em um trecho do vídeo.

Com o grande aumento de casos do coronavírus no estado, parentes de pacientes e funcionários tem relatado o clima tenso das unidades. O médico Filipe Shimizu atua na linha de frente da pandemia. Nas imagens, o profissional de saúde expõe as dificuldades enfrentadas pela classe médica e em muitos trechos do desabafo, ele não consegue conter a emoção.

Publicidade

O médico aproveita para fazer um apelo a população pedindo para que as pessoas fiquem em casa, para que dessa forma possa se evitar uma piora da pandemia no local. Filipe diz que a impressão que tem é que a situação é tão forte e grave quanto foi no começo da pandemia. Ele falou um pouco do quanto é doloroso a tristeza de um paciente que vai ser intubado, já que não é possível garantir que ele vai acordar bem ou se vai se tornar mais uma vítima fatal do vírus.

Publicidade

O profissional ressaltou o quanto tem sido difícil físico e emocionalmente ter que lidar com toda essa situação. O médico também falou que o agravamento da doença tem criado um clima de hostilidade com os médicos por causa da demora nos atendimentos. Por isso, fez questão de frisar que todos tem feito o que pode, mas que infelizmente não tem como comportar tantas pessoas de uma única vez.

Publicidade

Filipe pede que a população saia somente se for necessário, pois o coronavírus voltou com tudo e com uma velocidade ainda mais assustadora. “Não tem mais leito, não tem mais UTI, não tem mais corredor”, disse o médico. O país enfrenta um grande aumento do número de casos da Covid-19. Portanto, é importante manter os cuidados necessários como distanciamento social, uso de máscaras e álcool gel na reta final do ano.

Publicidade
Publicidade
Publicidade