in

Homem que matou juíza de forma brutal toma dura punição da Justiça; web reage em tom de revolta: ‘Muito pouco’

Decisão da Justiça foi anunciada na última segunda-feira (28), quatro dias depois do bárbaro crime.

UOL

Preso em flagrante após assassinar de forma brutal a ex-esposa com 16 facadas na frente das filhas, o engenheiro Paulo Arronenzi sofreu a primeira punição da Justiça. Nesta segunda-feira (28), o acusado do crime bárbaro tem R$ 640 mil da sua conta bancária bloqueada.

Publicidade

A decisão foi motivada pelo fato de Paulo ou dos familiares deles tentarem movimentar o dinheiro para contas do exterior. O acusado tem dupla cidadania. Além de brasileiro, é italiano. A medida tem como objetivo garantir uma futura indenização às três filhas do casal, as gêmeas de 7 anos e a mais velha, de 9 anos. 

Paulo Arronenzi matou a ex-esposa a sangue frio na véspera de Natal, quando estava devolvendo as filhas para Viviane, que atuava como juíza. 

Publicidade

A vítima de 45 anos acabou sendo assassinada com 16 facadas na presença das três filhas, que imploraram para o pai não cometer o crime. As crianças estão sob os cuidados da avó materna. 

Publicidade

Publicidade

Repercussão

Nas redes sociais, a decisão da Justiça do Rio de Janeiro foi vista como “pouca” por muitos internautas. Contudo, vale lembrar que o caso está no curso inicial das investigações. 

“Muito pouco ainda. Deveria pagar com toda a severidade. Já que sou contra a pena de morte, deveria trabalhar por seu próprio sustento dentro da cadeia. E pensar que o dinheiro dos meus impostos, um sujeito dessa estirpe se beneficia. Nojo!”

O crime bárbaro praticado contra a juíza Viviane causou forte comoção nacional e gerou uma onda de revolta com mais um caso de feminicídio. 

Publicidade
Publicidade