in

Amiga de juíza morta pelo ex-marido com 16 facadas na frente das filhas desabafa: ‘Misoginia’

Viviane do Amaral Arronenzi foi morta pelo ex-marido na tarde da última quinta-feira (24).

Metrópoles | Montagem Ingrid Machado

Um crime brutal ocorreu na tarde da última quinta-feira (24), na véspera de Natal. A juíza Viviane do Amaral Arronenzi foi assassinada a golpes de facadas pelo ex-marido na presença das filhas menores de idade. De acordo com o site Metrópoles, a magistrada teria ido à Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, deixar as filhas na casa do ex, o engenheiro Paulo José Arronenzi.

Publicidade

Imagens de vídeo foram registradas por um morador do local. Os registros gravaram o momento exato das agressões. Uma das três filhas de Viviane chegou a implorar para que o pai parasse com os ataques. A magistrada morreu no local, e o engenheiro foi preso em flagrante.

Simone Nacif, amiga de Viviane, desabafou sobre o crime e afirmou que não chegou a tomar conhecimento de que a magistrada havia precisado de escolta para se proteger do ex. Simone, que também é juíza, falou sobre a morte da amiga e enalteceu as qualidades de Viviane. 

Publicidade

Ela foi vítima de misoginia. O ex-marido deveria se sentir inferior a ela. Ela sempre foi inteligente, independente e dedicada à carreira e às filhas”, desabafou Simone.  A Justiça definiu que a guarda das crianças ficará com a avó materna. As meninas estariam extremamente abaladas por terem presenciado a morte da mãe.

Publicidade

Viviane e Paulo José foram casados entre os anos de 2009 e 2020. Após a separação, a juíza chegou a solicitar escolta de homens armados para se proteger das agressões e ameaças do ex-marido. A magistrada pediu que a escolta fosse cessada recentemente para atender à vontade das filhas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade