in

Preso no velório da vítima, suspeito de estrangular namorada dentro de banheiro recebe a pior das punições

A conclusão do laudo do IML indica marcas no antebraço da vítima no momento em que tentava se defender.

G1/Divulgação

O IML (Instituto Médico Legal) concluiu que a jovem Juliana Ferraz do Nascimento, de 23 anos, foi morta por estrangulamento dentro de um banheiro. Rogério Botelho, da mesma idade, então namorado da vítima, é apontado pela Polícia Civil como principal suspeito do crime. De acordo com os investigadores, o acusado tentou forjar uma queda acidental da vítima, trancando a porta do banheiro e deixando o corpo abandonado.

Publicidade

No último dia 6 de dezembro, enquanto a família fazia o velório de Juliana, Rogério foi preso por agentes da Polícia Civil. Ele estava fazendo a assinatura da certidão de óbito no momento em que foi abordado pelos policiais, sendo detido.

O irmão da vítima, uma das principais testemunhas, conta que o casal estava junto há quase cinco anos, dividindo a mesma casa por um ano. No dia da morte, por volta das 4h20 da madrugada, Rogério foi até a casa deste cunhado em desespero, dizendo que a casa estava alagada e que Juliana estava trancada no banheiro.

Publicidade

Ambos retornaram correndo para a residência e estouraram a porta do cômodo. O irmão de Juliana estranhou o fato da jovem estar com machucados pelo corpo e rosto, além de rigidez e palidez, suspeitando que óbito já tivesse decorrido há bastante tempo.

Publicidade

O laudo do IML apontou que algumas das marcas pelo corpo da vítima eram antigos, significando que as agressões aconteciam há tempos. As marcas no antebraço, por sua vez, significam reação de defesa da vítima.

Publicidade

A delegada Renata Ono, responsável pelo caso, relatou o semblante de frieza do rapaz no momento em que foi abordado. Sem derramar uma lágrima, não reagiu à prisão, indicando que esperava a sua detenção pelo crime cometido. “O pegamos quando ele organizava a declaração para a liberação do corpo. Parece que sabia que ia ser preso, não falou nada, não disse que era inocente e naquele momento, no fundo, sabia da prisão”, declarou.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Henrique Furtado

Henrique Furtado é um redator com vasta experiência no jornalismo online. Solidificou sua carreira com coberturas marcantes sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo ao longo da última década. Suas especialidades englobam desde os bastidores da política, versando por esportes, atualidades e, claro, tudo o que acontece no mundo dos famosos. Está sempre ligado para entregar, em primeira mão, as últimas novidades para os seus leitores, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Contato: henriquefurtado.jornalista@gmail.com