in

Auxílio Emergencial: governo envia SMS decisivo para mais de 1 milhão de beneficiários do programa

Benefício começou a ser pago em abril e já atingiu quase 68 milhões de brasileiros nesta pandemia.

Agência Brasil

Alento dos brasileiros nos tempos de crise por conta da pandemia do coronavírus, o Auxílio Emergencial será pago até o final deste mês. Oficialmente, o governo já sinalizou várias vezes que o programa de ajuda não será estendido no próximo ano, mesmo com o cenário da Covid-19 ainda assolando o país e a economia nacional. 

Publicidade

Entre esta segunda (21) e terça-feira (22), o Ministério da Cidadania enviará mensagens de SMS para alertar os beneficiários que receberam o Auxílio Emergencial de forma indevida e solicitar a devolução do recurso. 

Segundo a pasta responsável pelos pagamentos do programa, cerca de 1,2 milhão de brasileiros serão notificados. Eles foram identificados pela Controladoria-Geral da União (CGU) e pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Publicidade

O levantamento aponta que essas pessoas passaram a receber um segundo benefício do governo, como por exemplo aposentadoria ou seguro-desemprego, conseguiram um novo emprego ou foram identificadas incompatibilidade com os pré-requisitos para se receber o benefício.

Publicidade

“Todos aqueles que receberem a mensagem de texto poderão contestar a informação através do site da Dataprev”, explicou a pasta.

Publicidade

Prazo

O prazo para que estes 1,2 milhão de beneficiários entre com um pedido de contestação vai até o dia 31 de dezembro. 

O SMS

A mensagem enviada pelo Ministério da Cidadania será oriunda do número 28041, e deve contar o registro do CPF do beneficiário, bem como o link do portal oficial da pasta. Qualquer mensagem enviada de um número diverso, com esse intuito, deve ser desconsiderada.

Após o preenchimento das informações, o beneficiário emitirá uma Guia de Recolhimento da União (GRU). O pagamento da guia poderá ser realizado em vários canais de atendimento do Banco do Brasil, e guichês de caixas das agências. 

Segundo o Ministério da Cidadania, apenas 197 mil pessoas já devolveram os valores recebidos de forma indevida. Os números representam um estorno de R$ 230 milhões em devoluções para os cofres públicos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade