in

Avó de Maria Clara clama por Justiça e define acusado como ‘monstro’: ‘Ele quebrou a minha netinha inteira’

Velório e sepultamento de Maria Clara foi marcado por forte comoção neste sábado (19), em Hortolândia.

Reprodução/ YouTube | G1

O caso de abuso e morte da pequena Maria Clara Calixto Nascimento, de apenas 5 anos, causou forte comoção no país desde a última sexta-feira (18), quando o corpo da garotinha foi encontrado próximo à residência onde ela morava, em uma caixa de papelão. O crime brutal foi executado pelo padrasto dela, que após negar a ação, confessou o crime em depoimento à polícia.

Publicidade

No velório e sepultamento de Maria Clara ocorrido na manhã deste sábado (19), a avó da menina, Zuleide Viana, pediu Justiça. 

Muito abalada pela perda, a avó da garotinha teve que ser amparada por familiares, e pediu que a morte de Maria Clara não caia no esquecimento e que seja feita Justiça para a neta.  “Minha neta, que tive tanto carinho, que tinha todo cuidado do mundo… Nunca mais eu vou ver minha neta. Isso tem que ter Justiça”, disse Zuleide Viana, que ainda definiu Cássio Martins Camilo, autor do crime, como um monstro.

Publicidade


“Foi um monstro. Ele quebrou a minha netinha inteira. Ele quebrou maxilar, perna, braço. Ele acabou com a minha neta. A minha neta está irreconhecível”
, desabafou a avó no sepultamento de Maria Clara. 

Publicidade

Segurança reforçada

Por conta de protestos realizados um pouco mais cedo na delegacia onde Cássio Martins Camilo estava detido, o velório e sepultamento de Maria Clara teve segurança reforçada, já para eliminar qualquer possibilidade de novo atrito. Quando o corpo da menina foi encontrado na sexta-feira (18), uma equipe de televisão chegou a ser intimidada e dois carros foram atacados por moradores.

Publicidade

As investigações sobre o caso continuam e tentam desvendar se Cássio Martins Camilo agiu sozinho no crime bárbaro ou teve com a ajuda de alguém.

Publicidade
Publicidade