in

Ministro da Saúde gera revolta após frase polêmica durante anúncio de plano de vacinação contra Covid-19

Ministro foi amplamente criticado nas redes sociais por declaração dada nesta manhã (16).

G1

Esta quarta-feira (16) ficou marcada pelo anúncio do plano de vacinação contra a Covid-19 por parte do governo federal. Em discurso realizado nesta manhã, o ministro da Saúde Eduardo Pazuello confirmou que o Sistema Único de Saúde (SUS) utilizará todas as vacinas produzidas no país, inclusive a Coronavac, motivo de grande polêmica pelas divergências entre Doria e Jair Bolsonaro. 

Publicidade

Vale lembrar que em outubro, Pazuello chegou a anunciar a compra de milhares de doses do imunizante chinês, mas foi desautorizado menos de 24h depois por Bolsonaro. 

O responsável pela pastagem ainda pontou que todos os estados da federação serão tratados de forma igualitária e proporcional. Sem diferença no nível de alcance.

Publicidade

Polêmica

Uma frase dita por Pazuello, no entanto, não foi bem recebida por quem acompanhava o discurso ou tomou conhecimento depois. Durante a sua declaração, o ministro questionou o porquê da pressa e angústia para a chegada do imunizante.

Publicidade

“O povo brasileiro tem capacidade de ter o maior sistema único de saúde do mundo, de ter o maior programa nacional de imunização do mundo, nós somos os maiores fabricantes de vacinas da América Latina. Pra que essa ansiedade, essa angústia? Somos referência na América Latina e estamos trabalhando”, afirmou.

Publicidade

Apesar de se solidarizar com as famílias das vítimas da Covid-19, Pazuello foi criticado de forma dura pelo comentário. 

Nas redes sociais, diversos internautas mostraram revolta com a “passividade” do ministro, pedindo calma. 

“Será que é por causa dos mais de 2 milhões de contaminados e quase 190 mil mortos? Ou esse governo bosta ainda acha pouco? Tem uma meta de mortos para bater?”, questionou outro internauta mostrando irritação com Pazuello. 

“Por que o Pazuello não diz isso para as famílias de mais de 180 mil pessoas mortas pela covid?!”, criticou outra internauta. 

Publicidade
Publicidade