in

Especialista faz previsão terrível sobre Covid-19 no Brasil em janeiro; números causam alerta

Pandemia da Covid-19 já vitimou mais de 180 mil pessoas em solo nacional e número segue crescendo em ritmo acelado.

Paulo Pinto/Fotos Públicas

Depois de algumas semanas de queda e até “esquecimento” durante o período de eleições municipais, a pandemia do coronavírus voltou a subir o índice de casos nos últimos dias no Brasil. O relaxamento das medidas de restrição tem impactado numa crescente significativa de infectados e óbitos em decorrência da doença.

Publicidade

A preocupação dos especialistas da área da saúde aumentam ainda mais tendo em vista que se aproximam as festividades no final de ano, onde as pessoas costumam se reunir de forma maciça para celebrar o Natal e a virada do ano. 

Alerta preocupante

Na última quinta-feira foi realizado um evento sobre a pandemia promovido pelos jornais O Globo e Valor Econômico. Na oportunidade, uma pneumologista fez um grave alerta sobre o cenário da pandemia em solo nacional para este final de ano e início de 2021. 

Publicidade


“O que vai trazer a segunda onda para o Brasil são as festas de Natal e de fim de ano. Teremos o janeiro mais triste da nossa História porque nós falhamos em trazer uma consciência cívica da gravidade do que estamos vivendo”
, alertou a pneumologista e pesquisadora da Fiocruz Margareth Dalcolmo. 

Publicidade

De acordo com a especialista, a epidemia “mudou de lugar”, saiu das ruas e entrou nas casas, uma vez que os jovens se auto intitulando invulneráveis, deixaram de vez o isolamento social e estão levando o coronavírus para os pais e avós. 

Publicidade

“Lamento, não dá para fazer a festinha de Natal. Pode reunir no máximo seis ou sete pessoas, sob pena de expôr nossos entes queridos a um risco que eles não merecem”, desabafou Margareth.

Em muitas cidades do país, os governantes já anunciaram o cancelamento de festas tradicionais de fim de ano, como forma de conter os casos de pandemia. Na última semana, o país alcançou a marca negativa de 180 mil mortes em decorrência da Covid-19, e o índice segue em crescente. 

Índices preocupantes 

De acordo com o Consórcio de Imprensa, o Brasil registrou nas últimas 24h, 526 óbitos pela Covid-19. Diante disso, já são 11 dias consecutivos em alta na média móvel. Dezoito estados mais o Distrito Federal estão em ritmo de aceleração no índice de infecção. Nos últimos 7 dias, foram computados 651 mortos, uma aceleração de 24% na variação de 14 dias, todo cenário que denota preocupação. Ao todo, já são 181.945 mortes.

Publicidade
Publicidade
Publicidade