in

Mulher perde mãe, irmã e três tios para a Covid-19 em menos de dois meses e faz apelo: ‘Fiquem em casa’

Thamires da Silva Netto, de 29 anos, fez um desabafo comovente após perder cinco familiares para a doença.

Jornal Extra | Divulgação

Thamires da Silva Netto, de 29 anos, fez um apelo comovente após perder cinco familiares para a Covid-19. Em entrevista ao Jornal Extra, a jovem afirmou que primeiro perdeu três tios para a doença, depois a mãe e a irmã em um intervalo de 14 dias. Thamires, que mora em Duque de Caxias, Baixada Fluminense, também teve Covid-19, mas apresentou sintomas leves da doença.

Publicidade

A jovem fez um comovente desabafo e afirmou que perdeu todas as suas referências, já que seria bem próxima aos familiares. Thamires revelou que acredita que a mãe, Rosalita da Silva Netto, de 60 anos, tenha sido infectada durante os trâmites de sepultamentos de seus tios, já que começou a sentir sintomas da doença cerca de 5 dias após o enterro.

Thamires perdeu a mãe no último dia 27 de novembro após complicações da Covid-19. Rosalita precisou ser intubada por não responder ao tratamento convencional. Na mesma semana, a jovem passou por um novo susto com o diagnóstico do pai. Ele ficou internado por cerca de 10 dias e conseguiu se recuperar da doença recebendo alta hospitalar.

Publicidade

Mas o pesadelo de Thamires ainda não havia chegado ao fim. A irmã da jovem, Tatiane Netto, de 34 anos, testou positivo para a doença e foi internada no último dia 6 de dezembro. Cinco dias após, Tatiane veio à óbito. “Acreditamos que ela tenho pego diretamente da minha mãe, porque ela que acompanhou sozinha todo o processo de internação. Ela quis me proteger, poupar a mim e ao meu filho, afilhado dela. No sábado (12), ela foi intubada por volta das 20h e, às 23h, ela veio a óbito”, contou Thamires.

Publicidade

A jovem ainda fez um apelo a todas as pessoas que não desejam enfrentar essa dor: “Fiquem em casa, se preservem e cuidem dos seus ao máximo”. Thamires afirmou que a sensação de ver as pessoas desrespeitarem as recomendações de segurança é revoltante. A sul-fluminense afirmou que falta bom senso por parte de muitas pessoas para que sejam evitadas mais mortes no país.

Publicidade
Publicidade
Publicidade