in

Auxílio Emergencial: governo traz notícia animadora sobre o que ‘aterrissagem’ do benefício causará

Benefício tem o seu sexto calendário de pagamentos se iniciando neste domingo (13).

Facebook Jair Bolsonaro / Caixa

Criado para ser um agente reanimador da economia nacional e um alento aos brasileiros, o Auxílio Emergencial está com os dias contados. De acordo com a medida provisória da última extensão, o programa será pago pelo governo federal até o final deste mês. Embora haja uma enorme expectativa da população, líderes do governo e o próprio presidente Jair Bolsonaro classificam como distante um cenário de nova extensão do programa.

Publicidade

Na última sexta-feira (11), o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse em audiência pública virtual no Congresso Nacional que o término do Auxílio Emergencial ajudará diretamente no controle da inflação. O responsável pela pasta ainda citou a aprovação de um Projeto de Lei (PL) que dá autonomia para o Banco Central para controlar o índice de preços. 

“Nós achamos que esse aumento de inflação vai se dissipar. Primeiro, porque o presidente da Câmara vai aprovar o Banco Central independente, que vai impedir que essa alta transitória de preços prossiga. E, segundo, porque a própria suavização do auxílio emergencial, na medida em que ele desce e recai no Bolsa Família. Essa explosão de preços de construção civil, de alimentos, se acalma um pouco”, disse Paulo Guedes em seu discurso. 

Publicidade

Sem prorrogação?

O discurso atual de Paulo Guedes, que deve inclusive sair de férias nos próximos dias, vai ao oposto do que ele havia dito anteriormente sobre o Auxílio Emergencial.

Publicidade

Em novembro, o responsável pela pasta sinalizou a possibilidade de uma nova extensão do programa caso o Brasil vivenciasse uma segunda onda de casos da Covid-19, algo que para muitos especialistas já está ocorrendo no país, o aumento significativo de novas infecções.

Publicidade

Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro causou polêmica ao falar que a pandemia está “no finalzinho”. A declaração do chefe do Executivo foi rebatida no dia seguinte pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que classificou a Covid-19 ainda distante do fim em solo nacional.

Neste domingo (13), a Caixa iniciou o 6º ciclo de pagamento do Auxílio Emergencial, o último se confirmado o fim do programa. Alguns beneficiários ainda poderão sacar o dinheiro em espécie no próximo ano, mas o programa será encerrado para milhares de brasileiros nesta virada de 2020 para 2021.

Publicidade
Publicidade
Publicidade