in

Menina de 3 anos morre congelada por causa de sonambulismo e mãe detalha drama: ‘Encontramos deitada no chão’

A pequena Angelina morreu após sofrer uma hipotermia ao ficar exposta em uma temperatura extrema para o corpo humano.

Crescer

O sonambulismo pode se tornar um sério problema na vida de quem sofre com o distúrbio. A causa ainda é desconhecida e de acordo com a ciência geralmente acontece no estágio em que o sono está mais profundo. Infelizmente, uma criança de apenas três anos perdeu a vida por causa de ser sonâmbula.

Publicidade

A garotinha de três anos sonâmbula morreu congelada após ter deixado a área interna de sua residência enquanto estava dormindo. O fato aconteceu na Rússia, no município de Satka, que fica localizado no sul. O local que a garotinha foi parar não havia aquecimento estava com uma temperatura de -15 °C.

Os pais da menina não haviam percebido que a filha tinha saído. A pequena Angelina foi achada sem vida na porta da casa pela própria mãe Svetlana Juleshova, após ter procurado a criança e não ter localizado em sua cama.

Publicidade

A família tinha celebrado o aniversário da filha mais nova, que fez um aninho, na noite anterior. De acordo com a informação do portal de notícias Daily Mail, a mãe contou que colocou a filha para dormir por volta da meia noite. “Nós [ela e seu marido] assistimos um pouco à TV e fomos para a cama também“, relata a mãe. “‘Quando acordamos de manhã, não a encontramos em sua cama. Nós a encontramos deitada no chão“, explicou a mãe.

Publicidade

Segundo os pais, a pequena tinha tendência ao sonambulismo e por vários vezes tiveram que ajudar a menina a retornar para a cama. Contudo, na noite em que ocorreu a tragédia ninguém percebeu que a garotinha havia saído do quarto. A mulher acredita que a filha tenha caminhado sonâmbula para a parte da entrada da residência que não é aquecida e depois não encontrou o caminho de volta.

Publicidade

A polícia instaurou um inquérito criminal e a mãe pode ser acusada de morte por negligência e se condenada por até dois anos de reclusão. Com isso, a mulher acabou perdendo a guarda da outra filha, que foi tirada pelos assistentes sociais.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.