in

Sobrevivente relata desespero de motorista de ônibus em trágico acidente: ‘Meu Deus, o que é que eu fiz’

O outro motorista que estava no ônibus dormia durante o acidente e acabou não resistindo.

G1

O trágico acidente ocorrido na última sexta-feira (06) envolvendo um ônibus que despencou de um viaduto em João Monlevade (MG) comoveu o país, deixando 19 mortos e mais de 20 feridos. O coletivo, que não tinha liberação para transportar passageiros, saiu do interior de Alagoas e iria para São Paulo, quando na “Ponte Torta” teria perdido freio e despencado.

Publicidade

De acordo com testemunhas, antes de despencar de uma altura de 35 metros, o ônibus ficou pendurado, o que permitiu que algumas pessoas escapassem. Entre os sobreviventes que pularam antes da queda, estava o motorista que conduzia coletivo no momento. Identificado como Luiz Viana de Lima, o condutor se evadiu do local e é aguardado para prestar depoimento. Ele, no entanto, não é considerado foragido pelas autoridades que trabalham no caso. 

Uma das sobreviventes do trágico acidente, Eliane Guerra, de 55 anos, que também pulou antes do ônibus despencar, deu entrevista ao Fantástico e revelou a reação do motorista após o acidente.

Publicidade

“Esse motorista que estava com a gente era novato. Ele ainda disse ‘meu Deus, o que é que eu fiz'”, disse Eliane Guerra, que não teve nenhum ferimento mais grave. 

Publicidade

Sem liberação

O veículo que fazia viagem de Mata Grande, interior alagoano, até São Paulo, não tinha liberação da Agência Nacional de Transportes Terrestres para transportar passageiros. Somente no ano passado, o coletivo da empresa Localima, foi autuado em três oportunidades pelo mesmo tipo de irregularidade.

Publicidade

A empresa responsável pelo veículo prometeu dar todo o suporte aos familiares das vítimas do acidente, e alegou ter toda a documentação que autoriza o transporte de passageiros. Mas segundo a ANTT, o documento não está na base de dados da agência.

Publicidade
Publicidade
Publicidade