in

Sobrevivente de acidente dá depoimento impactante de tragédia e critica motorista: ‘Soltou a direção e pulou’

Acidente gravíssimo com ônibus alagoano deixou 18 mortos e mais de 20 feridos.

G1 - Reprodução

O trágico acidente ocorrido no Km 350 da BR-381, em João Monlevade (MG), na última sexta-feira (04), vem comovendo o país. De acordo com a mais recente atualização, 18 mortes e 23 feridos confirmados. O ônibus que saiu de Alagoas viajava para São Paulo, quando teria perdido freio na intitulada “Ponte Torta”.

Publicidade

Uma das sobreviventes da tragédia, a cuidadora de idosos, Eliane Cavalcante Guerra, de 55 anos, concedeu entrevista exclusiva ao UOL, e criticou a postura do motorista do veículo, que soltou a direção ao perceber que havia perdido o freio. 

Na concepção de Eliane, ele deveria ter continuado no ônibus para evitar o pior

“Qual era a dele? Ter controlado o carro, mas ele soltou e pulou. Aí o ônibus saiu descendo e caiu na ponte”, disparou Eliane.

Publicidade

Ainda segundo a sobrevivente, ela também pulou do ônibus ao perceber que ele estava sem controle, instantes antes do veículo despencar de uma expressiva altura. 

Publicidade

“O motorista estava em alta velocidade e, de repente, ele diminuiu a velocidade e começou a desviar dos outros veículos. Vi que ele entrou na contramão desviando dos carros. Mas quando chegou ao meio da ponte, ele diminuiu a velocidade. Eu abri a porta e pulei”, disse a sobrevivente, afirmando que após ela, várias pessoas também pularam. 

Publicidade

Eliane relatou que em nenhum momento, o motorista alertou os passageiros que o veículo estava sem freio e que era para eles pularem. 

Prontamente socorrida, Eliane foi conduzida para um hospital do município mineiro onde o acidente foi registrado, e posteriormente liberada. Ao se jogar do ônibus ela conta que caiu sentada no asfalto e não sofreu ferimentos.

Buscas

As autoridades seguem na busca pelo motorista, que após pular do ônibus se evadiu do local e tem paradeiro desconhecido. Segundo a ANTT, o veículo não tinha liberação para poder transportar passageiros. No ano de 2019, o ônibus já havia sido autuado três vezes após ser flagrado realizando este tipo de prática. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade