in

Preso injustamente, homem desabafa ao falar sobre recomeço após ser solto: ‘Não durmo mais à noite’

Eduardo ficou trinta dias detido após ser acusado de um crime que não cometeu.

Metrópoles

Recomeço, esse é o sentimento de Eduardo de Assis Fernandes, de 44 anos, após passar 30 dias preso por um crime que não cometeu. Preparando o jantar para os filhos, ele foi detido sob acusação de ter roubado por empresários e tentar extorquir uma alta quantia deles. As provas, no entanto, todas fundadas por uma foto no Facebook, que na realidade se tratava de outro suspeito.

Publicidade

Sem provas que contextualizassem o envolvimento de Eduardo no caso, o morador de Queimados, na região metropolitana do Rio de Janeiro, foi solto. Apesar de ter retomado a liberdade novamente, ele conta que as “feridas’ de uma acusação infundada machucam e ainda não foram totalmente superadas.

Depois de passar 30 dias detido, Eduardo teve a esperada soltura no dia 22 de novembro. Liberado no fim de semana, ele ficou aflito acerca de uma possível demissão no emprego. Se dizendo surpreso, ele não ganhou a manutenção no cargo, como também foi muito bem recebido por colegas e pela direção onde trabalha. 

Publicidade

“No país em que vivemos, alguém preso automaticamente é visto como bandido. Mas me deram boas-vindas e me abraçaram”, disse Eduardo em entrevista exclusiva ao UOL. Apesar dos problemas enfrentados, ele trabalha em dois empregos e não teve sua vida profissional prejudicada por conta da acusação infundada.

Publicidade

Trauma

Abandonado pelo pai ainda muito novo, Eduardo prometera sempre aos filhos que nunca faria o mesmo. A prisão injusta, no entanto, fez com que ele descumprisse a promessa. Semanas depois da sonhada e justa liberdade, ele revelou que ainda tem sido difícil contornar o cenário vivido na prisão.

Publicidade

“Não consigo dormir à noite. Tenho pesadelos e acordo assustado, com medo do que pode acontecer a partir de agora”, contou Eduardo. 

Publicidade
Publicidade