in

Caso Rhuan: assassina que matou o próprio filho fala sobre motivação do crime; ‘Atrapalhava demais’

Rosana Auri da Silva Cândido deu detalhes sobre o assassinato do filho em depoimento à polícia.

Metrópoles | Divulgação

Um dos casos mais bárbaros de assassinato de criança chegou ao fim na última semana com a condenação de Rosana Auri da Silva Cândido, 30 anos, e Kacyla Priscyla Santiago Damasceno, 28. As duas são responsáveis pelo assassinado do menino Rhuan, de apenas 9 anos de idade. Rhuan Maycon foi vítima de tortura antes de ser morto, chegando a ter as genitálias decepadas pelas assassinas.

Publicidade

De acordo com o site Metrópoles, detalhes chocantes sobre o crime estão sendo revelados após o Tribunal do Júri condenar Rosana e Kacyla por mais de 120 anos de prisão somando suas penas. Segundo o depoimento de Rosana, mãe do menino, houve uma conversa com a companheira antes da morte de Rhuan.

O menino foi degolado e esquartejado. De acordo com as investigações, as partes do corpo de Rhuan foram abandonadas em locais diferentes. Investigadores apontam que Rosana e Kacyla chegaram a assar partes de membros na churrasqueira da família a fim de dificultar as investigações da polícia.

Publicidade

Sobre a motivação do crime, Rosana contou à polícia que Rhuan “atrapalhava demais” a rotina do casal. “Seria bom a gente viver a nossa vida. Os meninos [Rhuan e a irmã de criação, um ano mais nova] atrapalhavam demais a nossa vida”, disse a mãe do menino a um dos policiais que apurou o homicídio.

Publicidade

Ainda segundo o site Metrópoles, a irmã de criação de Rhuan seria a próxima a ser morta pelas assassinas. Em depoimento, Rosana contou que ela e Kacyla também planejavam “dar um rumo” à menina, que também atrapalhava a relação. A morte de Rhuan ocorreu no dia 31 de maio do ano passado. Investigações apontam que Rosana e Kacyla planejavam fugir do local após o crime, e chegaram a separar malas e documentos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade