in

Recém-nascida prematura é resgatada por socorristas após ter sido abandonada em lixeira: ‘é uma guerreira’

Um catador de materiais recicláveis encontrou a bebezinha e acionou o Samu.

G1

Uma bebezinha recém-nascida foi achada dentro de uma caixa de sapato deixada em uma lixeira de um edifício em Balneário Camboriú, que fica localizado na região litorânea de Santa Catarina. O fato aconteceu no período da tarde deste último sábado, 28 de novembro. Quem encontrou a criança foi um catador de materiais recicláveis.  

Publicidade

Assim que encontrou a recém-nascida dentro da caixa de sapato, o homem acionou o SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, por volta das 15h. O catador notou que a criança estava se mexendo no lixo. A pequena é um bebê prematuro e nasceu de uma gravidez de cerca de 28 semanas.

A recém-nascida foi colocada dentro da caixa de sapato, com a barriguinha virada para baixo e coberta com um paninho. A pequena ainda respirava com bastante dificuldade e tinha sangue pelo corpo, provavelmente devido ao parto. De acordo com Ari Dornelles, um dos socorristas que prestou atendimento à criança, a suspeita é que o nascimento tenha acontecido horas antes dela ser achada. Fábio Ristoff, que é técnico de enfermagem, também ajudou no trabalho.

Publicidade

“Temos muito que agradecer esse senhor que salvou a vida da menina, esse senhor que é catador de reciclado, porque se ele não abre a lixeira ali, quando que a gente ia saber que a criança iria estar ali. Ia encontrar a criança sem vida”, ressaltou o socorrista. No local, os profissionais que prestaram socorro a bebê tiveram que entubar a criança e aquecer para poder encaminhá-la até o hospital.

Publicidade

A recém-nascida está internada no Hospital Ruth Cardoso e permanece sob cuidados médicos na UTI neonatal. O quadro de saúde da pequena é considerado estável. “Essa criança é uma guerreira, porque a gente não sabe qual tempo que ela ficou ali”, ressaltou o socorrista.

Publicidade

A polícia foi chamada para atender a ocorrência e analisou as câmeras de segurança do local. O delegado responsável pelo caso já tem suspeitos e a investigação corre em sigilo por se tratar de uma criança.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.