in

Mãe de criança que morreu eletrocutada em decoração de Natal quer justiça e faz pedido comovente

Caso aconteceu na noite da última sexta-feira (27) e comoveu os moradores de Caldas Novas.

Mais Goiás

O caso da menina de 8 anos que morreu após ser vítima de uma descarga elétrica em uma decoração de Natal na principal praça de Caldas Novas (GO) comoveu o país. Júlia Honória Franco passeava com a família, quando ao tocar em uma estrutura de sustentação de decoração foi eletrocutada.

Publicidade

Prontamente socorrida, a pequena acabou sofrendo uma parada cardíaca e acabou não resistindo aos ferimentos. 

Em desabafo comovente ao portal G1, a mãe da criança, Rejany Honória de Almeida pediu justiça. Logo após o ocorrido, foi identificado que toda a estrutura de ferro da decoração estava energizada. O local foi isolado e toda a decoração desligada. 

Publicidade

“Meu esposo pegou ela. Chamou o Samu, levamos ao hospital, mas ela deu uma parda cardíaca. Deus a levou”, desabafou Rejany.

Publicidade

Publicidade

Pedido

Segundo Rejany, a família vinha cumprindo a quarentena rigorosamente em casa. Mas, na sexta-feira (27), os filhos insistiram bastante para ver a decoração natalina na Praça Mestre Orlando. Brincando com outras crianças, Júlia acabou encostando na estrutura metálica onde será montado um túnel e foi vítima de choque. 

Abalada, Rejany pediu que as devidas providências sejam tomadas para que outra família não passe pela mesma tragédia vivenciada por ela. 

“Peço que as autoridades olhem aquelas estruturas, porque ela estava ligada e passando energia. Quero alertar para que não aconteça com outras famílias”, desabafa. 

Revolta

Depois da Prefeitura de Caldas Novas publicar uma nota lamentando o ocorrido e informando que os profissionais que realizam a instalação da decoração são especialistas e fazem o trabalho há 10 anos, a população não reagiu bem, e cobrou Justiça, acusando os gestores de negligência e afirmando que o caso não foi acidente.

Publicidade
Publicidade
Publicidade