in

Dor e sofrimento: amiga expõe drama da família da menina de 8 anos que morreu eletrocutada: ‘incrédulos’

A menina morreu eletrocutada e o caso gerou grande comoção nas redes sociais.

Divulgação/Facebook

O caso da menina de oito anos que morreu eletrocutada após encostar numa decoração de Natal vem gerando grande comoção nas redes sociais. A pequena Júlia Honória Franco acabou se tornando vítima de um triste acidente que aconteceu nesta última sexta-feira, 27 de novembro, na Praça Mestre Orlando, em Caldas Novas, Goiás.

Publicidade

Naftali Gomes, amiga da família da menina de oito anos que morreu eletrocutada, contou que está todo mundo se acreditar que a pequena morreu. De acordo com a jovem, Júlia estava no local na companhia da família quando acabou encostando no enfeite de Natal. Ela desmaiou na hora e foi socorrida pelo SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – e logo foi levada para o hospital.

Contudo, devido à gravidade da situação, a pequena não resistiu e acabou falecendo na unidade. Conforme informação da amiga, os parentes da menina não estão tratando o caso como uma fatalidade. “A polícia encontrou fios desencapados no local. Toda a família está em choque com toda essa situação. Foi tudo muito rápido. A família espera justiça para que outras mães não venham sentir a dor que a mãe da Júlia está sentindo nesse momento”, destacou.

Publicidade

O velório e o sepultamento da pequena Júlia aconteceu na manhã deste último sábado, 28 de novembro, no Cemitério Jesus de Nazaré, no município onde residiam. Naftali, amiga da família, contou que a despedida da pequena foi marcada por muita dor e comoção. Ela contou que a mãe estava desesperada e chorando muito sobre o caixão da filha. A vítima tinha mais dois irmãos, de 2 e de 10 anos. Naftali relatou que a mais velha, que já entende o que estava acontecendo, perguntou quem brincaria com ela: “Meu coração doeu”, disse comovida.

Publicidade

Ainda conforme o relato da amiga, a família havia ficado a quarentena inteira dentro de casa e resolveram sair para que as crianças pudessem ver os enfeites natalinos. Ela disse que espera que os culpados sejam punidos e que isso é o mínimo que pode acontecer.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.