in

Menino chora após ser impedido de vender água para comprar comida e um milagre acontece

O garoto gravou um vídeo chorando após o Conselho Tutelar o impedir de ajudar a família financeiramente vendendo água na rua.

Razões Para Acreditar

O caso do pequeno Gabriel viralizou em outubro. O menino vendia água nas ruas para ajudar no sustento da família. Antes disso, ele já havia vendido outras coisas, como sorvete e pamonha.

Publicidade

Sua família é muito pobre e cada um faz o que pode para se ajudar. Eles vivem em uma região cercada pelo tráfico de drogas e o sonho dele e de sua mãe é saírem dali para morar em um local seguro.

Gabriel tem mais três irmãos, todos mais novos que ele. Um dos meninos tem um problema de saúde e não pode ficar sozinho. Sua mãe não pode trabalhar fora, porque não tem com quem deixar o filho especial e os outros dois de 2 e 9 anos. O sustento da família vem do Bolsa Família e do que Gabriel ganhava vendendo nas ruas de Mossoró, no Rio Grande do Norte, perto da casa da família.

Publicidade

Gabriel foi denunciado por alguém que acreditou que ele estava sendo explorado ao trabalhar vendendo água. Como consequência, o conselho tutelar impediu que ele volte a trabalhar. O menino gravou um vídeo chorando desesperado após o ocorrido, perguntando como que ele ia comprar comida para dentro de casa se tinham lhe proibido de trabalhar.

Publicidade

O caso viralizou nas redes sociais e uma vaquinha virtual foi criada para ajudar Gabriel e sua família a realizarem o sonho de se mudarem e ainda se manterem. Gabriel tem um segundo sonho depois da casa: abrir seu próprio negócio para vender suas coisas em casa sem correr risco na rua.

Publicidade

A meta da vaquinha era de R$70 mil, valor considerado o suficiente para que eles comprassem uma casa e continuassem se mantendo por um tempo. Felizmente, a vaquinha terminou com mais de R$82 mil arrecadados.

Agora eles estão procurando uma casa para comprar. No novo local eles vão morar e ter um pequeno comércio, sonho de Gabriel do qual a família poderá trabalhar junto, inclusive a mãe poderá auxiliar sem deixar o filho mais novo sozinho.

Foram quase 1.500 doadores que tornaram a vida de Gabriel melhor, transformando as lágrimas do dia em que recebeu a visita de um representante do Conselho Tutelar de Mossoró, em um belo sorriso de esperança por dias melhores.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Guti M

Redator de entretenimento e curiosidades