in

Pai de vítima de trágico acidente faz desabafo comovente: ‘meu filho falava que o ônibus não era adequado’

Acidente ocorreu em um trecho perigoso da rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho.

Época

O trágico acidente ocorrido na última quarta-feira (25) envolvendo um caminhão e um ônibus na Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, no interior de São Paulo, causou forte comoção no país. A brutal colisão frontal resultou na morte de 41 pessoas e 11 feridos, deixando um cenário desolador para as famílias das vítimas.

Publicidade

Funcionário da empresa Stattus Jeans, o jovem operador de máquina Adriel Calebe, de 24 anos, foi uma das vítimas fatais do acidente. Em entrevista à Época, o pai dele, Márcio Alves, lamentou a perda precoce e revelou que o filho já havia se queixado sobre a precariedade do ônibus que transportava os funcionários diariamente para a empresa, e que o motorista costumava andar rápido demais. 

“Ele comentava que não era muito adequado, tinha muito problema, às vezes quebrava. O licenciamento também estava atrasado. E dizia que o motorista corria demais, não era cauteloso”, desabafou Márcio Alves.

Publicidade

De acordo com apuração do G1, o ônibus que se envolveu no acidente tinha o registro de 11 multas aplicadas.

Publicidade

Sonhos

De acordo com o pai, Adriel Calebe planejava abrir um estúdio de tatuagem para tornar seu hobby de desenhar em um trabalho profissional. O jovem inclusive já havia comprado alguns equipamentos para iniciar na nova função. Ele trabalhava na empresa Stattus Jeans há cerca de três anos, e a exemplo das vítimas fatais do trágico acidente estava indo para mais um dia de trabalho, e não voltou mais. 

Publicidade

Segundo Márcio Alves, o filho acabou sendo lançado para fora do ônibus e morreu ainda no local do acidente, juntamente com outras 36 pessoas. O corpo do jovem foi conduzido para o Instituto Médico Legal (IML) de Avaré, e após reconhecimento foi liberado para velório e sepultamento.

Publicidade
Publicidade
Publicidade