in

Esposa de vítima em trágico acidente faz forte denúncia sobre motorista do ônibus e situação do veículo

Acidente ocorreu na manhã da última quarta-feira (25), em rodovia do interior paulista e deixou um cenário desolador.

G1

O acidente envolvendo um ônibus e um caminhão ocorrido na manhã da última quarta-feira (25) chocou o país, e foi um dos mais graves nas rodovias brasileiras nos últimos anos. A forte colisão acabou resultando na morte de 41 pessoas, boa parte funcionários de uma empresa têxtil situada no interior paulista.

Publicidade

Em entrevista ao UOL, a esposa de Ramon Pereira da Silva, de 25 anos, que acabou sendo uma das vítimas no trágico acidente na rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, fez uma grave denúncia contra o motorista do ônibus. Segundo Raquel Ferreira Monteiro, de 18 anos, o condutor sempre foi apressado, e revelou que o marido já havia se queixado da segurança do transporte algumas vezes. 

“O motorista sempre foi apressado mesmo. Não tinha medo de pisar no acelerador e agora está aí a tragédia de mais de 43 pessoas mortas [oficialmente 41]”, lamentou Raquel Monteiro.

Publicidade

Segundo ela, Ramon também já havia mostrado receio com a falta de segurança do ônibus. 

Publicidade

“Ele dizia que o transporte faltava cinto, que não tinha um bom empenho da empresa para as pessoas se sentirem seguras“, lembrou Raquel.

Publicidade

Casados há um ano e quatro meses e junto há mais de três, Ramon e Raquel recentemente se tornaram pais. Da união do casal nasceu Alice, que na última segunda-feira (23) completou sete meses de vida. 

Clandestino

Segundo informações da Artesp, Agência de Transporte do Estado de São Paulo, a empresa Star Turismo, responsável pelo ônibus não tinha autorização para operar. Além de não possuir a documentação regularizada junto aos órgãos de fiscalização, trabalhando assim de forma clandestina, a empresa já havia sido multada várias vezes por conta de irregularidades no ônibus que se envolveu no trágico acidente.

Em nota à imprensa, a empresa se defendeu e disse possuir toda a documentação para poder circular. 

Publicidade
Publicidade