in

Lembra do caso Rhuan Maycon? Justiça é feita e assassinas do menino sofrem dura punição

Somadas, as condenações das assassinas se aproximam de 130 anos de prisão.

G1

A morte do menino Rhuan Maycon, então com nove anos, foi um dos assassinatos mais cruéis de 2019 e teve repercussão nacional. O garoto foi assassinado pela mãe, Rosana Auri da Silva Cândido, e a companheira dela, Kacyla Priscyla Santiago Damasceno Pessoa.

Publicidade

O corpo de Rhuan foi encontrado no dia 1º de junho de 2019, dentro de uma mala, esquartejado. Nesta quarta-feira (25), o Tribunal do Júri de Samambaia, no Distrito Federal, condenou as assassinas pelos crimes de homicídio qualificado, lesão corporal gravíssima, ocultação e destruição de cadáver, tortura e fraude processual.

A decisão em primeiro grau definiu que Rosana, mãe do garoto, foi condenada a 65 anos de reclusão, além de oito meses e 10 dias de detenção. Kacyla foi condenado a 64 anos de reclusão e 8 meses e 10 dias de retenção. O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) explica em seu site a diferença das condenações.

Publicidade

A pena de reclusão é aplicada a condenações mais severas, o regime de cumprimento pode ser fechado, semiaberto ou aberto, e normalmente é cumprida em estabelecimentos de segurança máxima ou media. A detenção é aplicada para condenações mais leves e não admite que o inicio do cumprimento seja no regime fechado”, explica.

Publicidade

De acordo com informações do Ministério Público do Distrito Federal (MP-DF), Kacyla ficou em silêncio durante o julgamento e assumiu a execução de todos os crimes. Segundo ela, não houve participação da companheira, mãe do garoto, na morte. Os jurados, no entanto, acataram na íntegra a denúncia do MP.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!