in

PM agride mulher algemada, que queria comprar comida para filha autista; caso gera grande revolta

Mulher foi detida após se envolver em confusão com proprietária de restaurante, que teria xingado sua filha autista.

G1

Uma mulher de 44 anos foi agredida por um 2º Tenente da Polícia Militar, enquanto estava algemada em um Batalhão da PM. O caso ocorreu no último dia 26 de setembro, em Bonito, no Mato Grosso do Sul, contudo somente depois de quase dois meses as imagens de segurança foram divulgadas, atentando assim a agressão sofrida pela vítima. O vídeo vem viralizando nas últimas horas.

Publicidade

Em nota, a PM de Bonito afirmou já ter identificado os policiais envolvidos e determinou a instauração de um Inquérito Policial Militar (IPM) para investigar o caso. 

A vítima, que preferiu não ser identificada, não prestou queixa na época do ocorrido, pois não tinha provas da agressão. Além disso, ela recebeu uma resposta negativa ao tentar registrar um Boletim de Ocorrência, e encontrou empecilhos para realizar um exame de corpo de delito.

Publicidade

Agora com o vídeo em mãos, ela irá até a corregedoria da PM em Campo Grande, para registrar um B.O. e iniciar uma ação contra o estado. 

Publicidade

Confusão

Em entrevista à TV Morena, a mulher revelou que no terceiro dia que aproveitava férias em Bonito, com os três filhos, foi até um restaurante para pegar comida para a filha caçula de três anos, que apresenta quadro de autismo.

Publicidade

No entanto, apesar do pedido de agilidade, a comida demorou mais de uma hora para sair. Ela discutiu com a dona do local, que teria chamado a criança de “verme da sociedade“. Diante disso, a mulher foi pra cima da proprietária do estabelecimento e uma confusão foi gerada.  

Após retornar para a pousada onde estava hospedada, a mulher disse que foi surpreendida pela abordagem de um policial militar. O homem a prendeu por desacato e a conduziu para o Batalhão da Polícia Militar; e chamou o Conselho Tutelar para os filhos da mulher irem para um abrigo. 

Agressões

Nas imagens flagradas por uma câmera de segurança, o 2º Tenente responsável por prender a mulher aparece agredindo-a, e só para quando outros dois policiais o afastam da vítima, que tentou se defender dos golpes. “Até hoje meu filho fala sobre o episódio, dói na alma. Mas jamais vou permitir alguém olhar feio pra minha pequena”, disse a vítima. 

Publicidade