in

Amigo de infância de homem espancado até a morte em supermercado conta como recebeu a notícia: ‘Um choque’

João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado e morto em uma das unidades do supermercado Carrefour.

G1 / BHZ | Montagem: Rafael Ferreira

Um crime bárbaro ocorrido na noite da última quinta-feira (19), gerou comoção nacional devido à enorme brutalidade. João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado até a morte por dois homens brancos nas dependências de uma das lojas do supermercado Carrefour. De acordo com o site G1, os responsáveis pelo crime são um policial militar e um segurança da loja.

Publicidade

Ambos foram presos em flagrante e serão investigados por homicídio qualificado. O desentendimento teria começado quando a vítima discutiu com uma funcionária do supermercado. João Alberto teria ameaçado agredir a funcionária que acionou os seguranças da loja.

Imagens de vídeo que circulam na web mostram João sendo agredido com violência pelos dois homens a chutes e pontapés. Enquanto um dos homens imobiliza a vítima, o outro aplica vários golpes sem dar chance de defesa. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionada e tentou reanimar a vítima, que veio à óbito no local.

Publicidade

André Gomes, amigo de infância de João Alberto, mais conhecido como Beto, contou como recebeu a notícia da morte: “Peguei meu celular agora de manhã e levei um choque. Éramos amigos desde a infância, nos criamos na mesma casa de religião, no batuque, na umbanda. Ele era tamboreiro. Estou fazendo 39 anos hoje, esse é meu presente”.

Publicidade

O supermercado Carrefour emitiu nota sobre o caso e recriminou a atitude dos seguranças. A rede afirmou que romperá o contrato com todos os responsáveis pela ação, e que fechará a loja em respeito à família da vítima. O Carrefour garantiu, ainda, que acompanhará os desdobramentos do caso e colaborará ao máximo com as autoridades durante as investigações.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade