in

Adélio diz que desistiu do plano de matar Bolsonaro e sonha em ser promotor de Justiça: ‘Viver uma vida normal’

Preso por esfaquear o então candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, acusado teria mudado a postura.

UOL / Montagem Ghean Fernandes

Preso após esfaquear Jair Bolsonaro, que à época disputava a presidência da república, Adélio Bispo teria mudado a postura e convicções ao deixar para trás o plano de matar o presidente quando deixasse a prisão. De acordo com um funcionário da Penitenciária Federal de Campo Grande, onde Adélio segue detido, o acusado estaria apresentando mudança positiva de comportamento.

Publicidade

O funcionário, que não teve a identidade revelada ao conceder entrevista ao jornalista Amaury Ribeiro Jr., do UOL, falou um pouco sobre a rotina do presidiário, que segue sendo medicado por conta de doença mental.

“Está calmo, diminuiu com as alucinações”, relatou o funcionário da penitenciária. O homem ainda relatou que Adélio parou de falar sobre Maçonaria e passa a maior parte do dia lendo livros de direito. Segundo psiquiatras que examinam Bispo com frequência, ele teria relatado o sonho de se tornar promotor ou procurador de Justiça quando ganhasse a liberdade.

Publicidade

Além das declarações do funcionário da penitenciária, o próprio Adélio Bispo já contou em depoimento que desistiu de atentar contra a vida de Jair Bolsonaro e que pretende viver grandes mudanças em sua vida. “Viver uma vida normal”, desejou o presidiário.

Publicidade

O plano de Adélio para tentar matar Bolsonaro teria sido alimentado por ele após dar entrada no presídio e ser aplaudido por membros de uma facção criminoso, conforme relataram alguns presidiários, segundo o UOL. Com o passar dos anos, Bispo teria desistido de seguir a diante após constatar que não poderia combater a maçonaria, conforme disse em depoimento.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade