Bebê morre após ser abandonada pela própria mãe em casa, ela deixou apenas 1 mamadeira e bolachas

A mulher acabou abandonando a filha pequena a própria sorte, e o caso será julgado essa semana.

PUBLICIDADE

O triste caso de um bebê que morreu na Espanha pode finalmente ter um desfecho. A mulher acusada de matar a criança de apenas 17 meses é a própria mãe. De acordo com um jornal local, a mãe ficou grávida enquanto morava no Marrocos e acabou se mudando para a Espanha no finalzinho do mês de março do ano de 2017.

PUBLICIDADE

O motivo da mudança seria esconder a gestação do pai. Quem financiava a moradia da mulher era os irmãos mais velhos e a mãe. Ela estava morando na cidade de Málaga. A jovem deu à luz no dia 4 de maio de 2017 e alguns meses depois começou a trabalhar em uma discoteca.

Durante esse período que estava trabalhando, a mãe do bebê teria deixado a criança, por dois meses seguidos, sozinha residência. Alguns relatos dão conta de que ela saia do trabalho e não ia direto para casa. Após terminar o turno de trabalho, a mulher ia dormir na casa de uma amiga e, segundo a alegação, seria para não acordar a filha.

Contudo, a negligência com o bebê ficou ainda mais grave e a mãe deixava a pequena sozinha o dia inteiro. Ela somente retornava para casa à noite para dar comida e saia novamente para retomar a vida social. Enquanto isso, a menina ficava desprovida de qualquer cuidado ou carinho. Os vizinhos chegaram a dizer que escutavam a garotinha chorando com frequência e somente parava quando era vencida pelo cansaço.

No mês de outubro de 2018, a mãe tomou a decisão de abandonar de vez o apartamento e simplesmente deixou a filha dormindo sobre a cama, deixando portas e janelas fechadas, e com apenas uma mamadeira e algumas bolachas. De acordo com a acusação, a mãe tinha consciência que desta maneira acabaria por provocar a morte da filha, já que era a única pessoa responsável por sua sobrevivência.

PUBLICIDADE

A descoberta somente aconteceu quando os irmãos vieram fazer uma visita e questionaram sobre o paradeiro da criança. No começo, ela disse que a filha estaria sob cuidados de uma amiga, mas ao ser pressionada acabou confessando o abandono. O tribunal está pedindo uma pena de 21 anos de prisão em virtude do abandono que culminou na morte da bebê.