in

‘Nunca fui avisada’, desabafa mãe que perdeu todo o cabelo após implantar DIU

Ela colocou o método contraceptivo após dar à luz sua filha e não imaginava dos transtornos que teria.

Pais&Filhos

Uma mãe passou por um susto muito grande ao optar por usar o DIU – Dispositivo Intrauterino. O método contraceptivo foi a escolha de Faith O’Kelly, em 2008. Contudo, a jovem britânica começou a apresentar uma severa queda de cabelo. De acordo com ela, eram tufos e mais tufos de cabelos que saiam por vez.

Publicidade

“Eu não lidei bem com isso de jeito nenhum. Eu ficava muito chateado e não queria sair de casa para que as pessoas notassem. A parte mais difícil era não me sentir mais feminina ou atraente”, desabafou a britânica durante uma entrevista concedida ao The Mirror. Após o nascimento da filha Summer, foi que começaram a surgir os primeiros sinais.

A mãe chegou a receber o diagnóstico de alopecia, que é uma complicação que acaba culminando na queda dos fios, porém os médicos não conseguiram descobrir qual seria a causa da doença, que iniciou em 2008 e somente teve um fim em 2019, quando a britânica interrompeu o método contraceptivo usado.

Publicidade

A mulher ressaltou que foram 10 anos de luta para aceitar a aparência. Ela conta que nesse período usou muitos chapéus para tentar esconder as áreas que estavam carecas. Nesse período conturbado, a britânica chegou a criar uma conta na rede social para compartilhar fotografias e dividir o problema com outras pessoas.

Publicidade

Após longos anos lidando com o problema, no final do ano de 2019, ela percebeu que a perda de cabelo poderia ter alguma ligação com o uso do DIU depois que leu um artigo online, que relacionava as duas coisas. “Eu não tinha ideia de que poderia ser a culpa e nunca fui avisada antes de tentar”, disse.

Publicidade

Foi então que resolveu entrar em contato com o médico, retirou o contraceptivo e logo o cabelo voltou a crescer. Feliz por ter as madeixas novamente, ela disse que teve a oportunidade de notar que o cabelo não a define e se sente contente por poder ajudar outras mulheres pela internet.

A especialista Marisa Teresinha, médica ginecologista, reforçou que esse tipo de situação não acontece com todas as mulheres, mas para aquelas que já tem uma predisposição genética.

Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.