in

Especialista desmente benefícios em acordar cedo e garante: ‘Quanto menos você dorme, menos você vive’

Conhecido como “Guru do sono”, o neurocientista Matthew Walker é autor de vários estudos sobre o tema.

Metrópoles | Montagem Ingrid Machado

Matthew Walker, famoso neurocientista e especialista em temas relacionados ao sono, publicou mais um estudo sobre os benefícios em dormir mais. De acordo com o site Metrópoles, o especialista deseja desmistificar a ideia de quem somente pessoas que acordam cedo são capazes de alcançar o sucesso.

Publicidade

Segundo Walker, que já lecionou psiquiatria na Universidade de Harvard e, atualmente dirige o Laboratório do Sono e Neuroimagem na Universidade da Califórnia, em Berkeley, é necessário que todos os indivíduos durmam bem. O neurocientista é autor do best-seller Por que Nós Dormimos, onde explica sobre os benefícios do sono para o bem-estar físico e mental de uma pessoa.

Na obra, Walker explica como o sono pode auxiliar na criatividade, memória, energia, além de prevenir doenças como o Mal de Alzheimer e alguns tipos de cânceres. O especialista ainda ressalta que o ser humano necessita em média de sete a nove horas de sono por dia, e que a diminuição dessas horas pode causar graves danos ao organismo.

Publicidade

Indo contra a tese de que muito sono gera uma perda de qualidade de vida, Matthew Walker garante que ocorre justamente o contrário. “Quanto menos você dorme, menos você vive”, afirma o neurocientista. O médico revela que o período do sono é bem mais do que um simples descanso, e sim, o momento em que ocorrem uma série de processos no cérebro e no organismo.

Publicidade

Dicas para dormir melhor

Publicidade

Walker ainda dá algumas dicas para quem deseja dormir melhor, como diminuir o consumo de café no período da noite, dormir com o ambiente o mais escuro possível, não consumir carboidratos horas antes de se deitar, além de evitar o consumo de álcool. O especialista revela, ainda, que dormir por cerca de 90 minutos após o almoço diminui em 200% a chance de problemas cardiovasculares na fase adulta.

Publicidade
Publicidade
Publicidade