in

Avião de Bolsonaro desvia rota após se deparar com mau tempo; presidente se pronuncia

Presidente cumpre agenda de compromissos em solo alagoano nesta quinta-feira (5).

Flickr Alan Santos

O avião que levava o presidente Jair Bolsonaro e comitiva para a cidade de Paulo Afonso, na Bahia, precisou modificar sua rota e aterrissar no aeroporto de Aracaju, Sergipe, na manhã desta quinta-feira (04). O motivo da alteração foi o mau tempo encontrado no destino traçado. O chefe do Executivo tinha agenda para cumprir em Piranhas, cidade alagoana que fica na divisa com a Bahia.

Publicidade

Apesar da mudança de rota, Bolsonaro utilizou suas redes sociais para comunicar que aguardava a melhora das condições climáticas para retomar a agenda prevista, que segundo ele seria mantida. 

“Por falta de teto não pousamos agora em Paulo Afonso/BA.
Em minutos pousaremos e Aracaju/SE, e aguardaremos melhoras meteorológicas para retornar agenda inicial. Pretendemos cumprir ainda hoje nossa missão em Piranhas/AL”
, disse o presidente em seu perfil no Twitter.

Publicidade

De acordo com o aeroporto de Paulo Afonso, não havia visibilidade para pouso no momento em que o presidente e a comitiva iria pousar. Além do presidente, estavam na comitiva o coronel Giovanne Silva, representando o Ministério da Saúde, e Rogério Marinho, ministro de Desenvolvimento Regional.

Publicidade

Publicidade

No aguardo de uma nova decolagem, às 10h15, realizada em um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB), o chefe do Executivo se reuniu com apoiadores na entrada de uma lanchonete. O presidente não utilizava máscara, – que é obrigatória em locais públicos no Sergipe – e sua presença causou aglomerações. 

Missão

A visita de Jair Bolsonaro a Alagoas é para a inauguração de obra de ampliação do Sistema de Abastecimento de Água de Piranhas. O chefe do executivo também pretende fazer um anúncio de liberação de quase R$ 15 milhões que serão destinados à continuidade da obra do Trecho 4 do Canal do Sertão Alagoano, que está inserido no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Mais de 94% da obra já foi concluída.

Publicidade