in

Bebê é abandonado no meio do mato ainda com o cordão umbilical

De acordo com a polícia, o bebê foi encontrado cerca de 50 metros de um vilarejo.

The Star

Um bebê foi encontrado no meio do mato por volta das 15 horas desta quarta-feira (04), de acordo com a polícia.
Conforme relatos do site The Star, a criança foi localizada enrolada em um lençol em um matagal na cidade de Bukit Katil, em Melaka, na Malásia. 

Publicidade

As primeiras investigações feitas pelas autoridades locais apontaram que, um homem que estava passando pelo local e ouviu um choro vindo do mato. Quando o homem chegou ao local, encontrou a criança e logo acionou a polícia relatando o caso.

Um jardineiro de 50 anos ouviu o choro de um bebê e entrou em contato com a delegacia de Bukit Baru”, disse o porta-voz da polícia Afzanizar Ahmad.

Publicidade

Segundo o porta-voz, o cordão umbilical ainda estava preso ao bebê quando foi encontrado. A criança foi socorrida e levada para uma unidade médica na localidade. A direção do Hospital Melaka relatou que seu estado de saúde é estável e não corre risco de vida. 

Publicidade

A polícia relatou que o recém-nascido foi encontrado há cerca de cinquenta metros de um vilarejo. Um inquérito policial foi aberto para investigar o caso. Até o fechamento desta edição, nenhum responsável pelo bebê foi encontrado pelas autoridades.

Publicidade

Outro caso semelhante foi registrado no mês passado no Distrito Federal. Na ocasião, um recém-nascido foi encontrado abandonado dentro de uma caixa de isopor, na BR-040. De acordo com o Conselho Tutelar da região, a criança foi encontrada às margens da BR entre as cidades de Luziânia e Cristalina.

Agentes do conselho relataram que o bebê ainda estava ligado à placenta. Ele foi regatado e levado para uma unidade médica na região. 

“Estamos aguardando a criança receber alta. Nós iremos comunicar o Ministério Público para fazer o acolhimento da criança aqui no DF”, disse o conselheiro Hessley.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Francisco Nunes

Barbeiro profissional.