in

Cabo eleitoral assassinada publicou vídeo horas antes de morrer: ‘Não adianta me ameaçarem de morte’

Renata Castro usou as redes sociais para fazer uma denúncia horas antes de ser morta a tiros.

Facebook | Renata Castro

A cabo eleitoral Renata Castro, de 40 anos, foi morta a tiros saindo de sua residência em Magé, no Rio de Janeiro. De acordo com o site G1, horas antes do crime, Renata usou suas redes sociais para afirmar que estava sendo ameaçada pelo vereador Cleverson Vidal, conhecido como Clevinho. Castro trabalhava na campanha eleitoral da família Cozzolino.

Publicidade

O crime ocorreu na manhã da última sexta-feira (30). Nas imagens de vídeo publicadas nas redes sociais, Renata aparece em frente à Polícia Federal afirmando que registrou um boletim de ocorrência por supostas ameaças recebidas pelo vereador Clevinho. A cabo eleitoral também denunciou irregularidades na prefeitura de Magé.

Em outro vídeo publicado nas redes sociais, Renata aparece em uma unidade de saúde, e mostra o local sem a presença de funcionários. A mulher ainda proferiu ofensas ao prefeito Rafael Tubarão. A Polícia Federal emitiu nota e afirmou que investigará o crime junto à Justiça Eleitoral.

Publicidade

Durante as imagens de vídeo, Renata diz não temer as ameaças recebidas: “Não adianta me ameaçarem de morte. Hoje, teve dois cidadãos, né, Clevinho? Você foi hoje no prédio me ameaçar, me coagir, estou esperando. Não tenho medo de você. O que fiz ontem vou fazer amanhã, depois de amanhã, quantas vezes necessário. Sabe por quê? Porque não devo nada na Justiça, não devo nada a vocês”.

Publicidade

Posted by Renata Castro on Thursday, October 29, 2020

Renata teria sido atingida por cerca de 14 disparos. A mulher era conhecida por publicar vídeos nas redes sociais criticando o trabalho da atual gestão da prefeitura de Magé. Castro trabalhava para a família Cozzolino, que esteve à frente da prefeitura da cidade por diferentes mandatos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade