in

Homem que atendeu Paulo Cupertino é localizado e desabafa: ‘Já pensou se desconfio e entrego uma pessoa dessa?’

Servidor público da prefeitura de de Jataizinho, no Paraná, atendeu o acusado de matar Rafael Miguel e os pais.

G1 / Montagem Ghean Fernandes

Há cerca de um ano após o assassinato do ator Rafael Miguel e os pais, em São Paulo, Paulo Curpetino, que segue foragido da justiça, voltou a praticar atos criminosos, dessa vez, no norte do Paraná. Conforme divulgado pela imprensa, desde a última segunda-feira (26), o empresário apresentou documentos falsos em um posto de identificação de Jataizinho e conseguiu uma carteira de identidade com dados falsos.

Publicidade

O caso passou a ser investigado pela Polícia Civil do Paraná, que acabou localizando o homem que atendeu Paulo Cupertino no dia do pedido da carteira de identificação. Em entrevista ao G1, o servidor público, que não teve a identidade revelada, falou sobre o ocorrido e lamentou não ter reconhecido o acusado.

Tenho 39 anos de carreira e caí em um conto do vigário como esse, fiquei surpreso. Já pensou se desconfio e entrego uma pessoa dessa? Queria ter feito o contrário, ter desconfiado, investigado e ter feito de um jeito para que isso não tivesse acontecido”, lamentou o funcionário da prefeitura de Jataizinho. O servidor ainda relatou ao portal do Grupo Globo que tem 39 anos de carreira e acabou se surpreendendo por ter caído no “golpe do vigário”.

Publicidade

Ao recordar o momento em que esteve com Paulo Cupertino, o homem disse que gostaria de ter feito diferente e até mesmo investigado para que o desfecho do caso pudesse ter sido outro. O servidor afirmou que o acusado apresentou certidão de nascimento falsa e endereço de uma cidade vizinha, também sem veracidade.

Publicidade

As investigações ainda apontam que Paulo Cupertino conseguiu nomes falsos para a filiação e passou a ser identificado como Manoel Machado da Silva. O acusado também teve as digitais colhidas e posou para foto do novo documento; no registro ele surgiu grisalho e com a barba branca. A identidade falsa do foragido já foi cancelada pelo Instituto de Identificação do Paraná.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade