in

Embaixadora filmada agredindo empregada ganhou condecoração de Jair Bolsonaro

Marichu Maduro é a embaixadora das Filipinas no Brasil, tem já dois anos e meio.

Marichu Maduro - Catraca Livre

Marichu Maduro é a embaixadora das Filipinas no Brasil há dois anos e meio. Como sempre acontece com os embaixadores, ela mora em uma residência diplomática e no início desse mês, ela até chegou a ganhar uma condecoração do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Porém, contra ela já estava correndo uma investigação policial por culpa de imagens em que a embaixadora aparece agredindo sua empregada doméstica. A matéria foi mostrada ontem pelo Fantástico, programa da TV Globo.

Publicidade

Embaixadora das Filipinas acusada de violência sobre funcionários

A investigação começou em agosto. Imagens das câmeras de segurança mostraram Marichu Maduro, a embaixadora das Filipinas no Brasil agredindo a empregada doméstica da residência diplomática, também filipina. A mulher trabalhava na residência oficial da embaixadora e estava sendo vítima de maus-tratos por parte de sua superior.

As imagens chegaram à Justiça em agosto, e essa doméstica não teria sido a única funcionária a acusar Marichu Maduro de agressões. De acordo com essa matéria do Fantástico, também outros funcionários teriam acusado a embaixadora.

Publicidade

Jair Bolsonaro condecorou embaixadora no início de outubro

O processo está agora correndo na Justiça e as imagens das câmeras de segurança, da residência diplomática seriam as provas das acusações desses funcionários. A residência de que se fala fica localizada nos fundos do prédio principal, em Brasília. Já depois desse processo estar correndo contra a embaixadora, no Ministério Público do Trabalho, Marichu Maduro teria sido condecorada por Jair Bolsonaro, segundo o portal IstoÉ.

Publicidade

Em declarações para o programa Fantástico, outro funcionário da residência confirmou que essa empregada foi agredida várias vezes por Marichu Maduro. As agressões aconteceriam recorrentemente, durante vários dias. Entretanto, a vítima já deixou o Brasil na semana passada. 

Publicidade
Publicidade