in

Apaixonado pela ciência, estudante de 18 anos vende empadas para comprar telescópio: ‘eu vivo astronomia’

O estudante contou que é um apaixonado pela ciência desde que era bem pequeno.

Tempo

Um jovem estudante de 18 anos, morador do município de Martins, que fica no estado do Rio Grande do Norte, tem uma bela trajetória em sua vida estudantil e até já ganhou medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, no ano de 2017.

Publicidade

”Eu não estudo astronomia, eu vivo astronomia e cada dia aprendo uma coisa nova”, essa é a declaração do jovem Arthur Felipe sobre o amor que tem pelo tema. O rapaz é um apaixonado pelo céu desde que era pequeno e sempre mirou um futuro na carreira espacial e também em estudos em agências internacionais.

Arthur Felipe contou que é um apaixonado pela ciência desde criança, e quando completou 15 anos, fez o seu primeiro telescópio reciclado com canos e lentes. Atualmente, ele está estudando astronomia de maneira independente. A sua dedicação à ciência o coloca entre os astrônomos amadores, que realizam observações a partir de instrumentos em casa, por exemplo.

Publicidade

Pensando em ter um telescópio ‘de ponta’ que o estudante teve a ideia de fazer uma vaquinha online. Além disso, ele está se dedicando à venda de empadas para ajudar na arrecadação dos valores para comprar o objeto de desejo.

Publicidade

“Eu vendo empadas para comprar um (telescópio) mais potente… Maior e mais potente. As empadas estão dando um dinheiro legal. Meu sonho é observar o céu profundo, nebulosas, planetas, além da Lua. Expandir o universo observável. A quantia em dinheiro servirá para o meu futuro”, explicou o rapaz.

Publicidade

Os primeiros passos sobre ciência aconteceram na escola do município, porém Arthur lamenta o fato de não ter tido mais acesso a conteúdos desse tipo ao passar dos anos. Rodolfo Langui, que é professor do Observatório de Astronomia da Unesp, relata que a grade curricular do país contempla astronomia, porém o grande desafio está na formação de docente para essa área.

Assim como Arthur, o professor Langui acredita que essa ciência mostra a possibilidade de ir além da lógica e da física.

Publicidade