in

Pastora que revoltou ao dizer para ‘meter a mão na cara e pisar no pescoço de filho’, se defende após ataques

A fala da pastora Adriele da Silva Ota gerou polêmica nas redes sociais e dividiu opiniões.

UOL | Divulgação

Na última semana, a pastora Adriele da Silva Ota gerou controvérsias na web, ao dizer uma frase polêmica. De acordo com o site UOL, a religiosa afirmou que pais deviam “meter a mão na cara e pisar no pescoço dos filhos” que não lhes obedecessem. A gravação foi feita durante um culto da igreja Assembleia de Deus de São Paulo no último mês de setembro.

Publicidade

Após o vídeo viralizar nas redes sociais, Adriele recebeu alguns ataques por parte de internautas, que condenaram a fala da pastora e afirmaram que ela estava fazendo apologia à violência às crianças. Em entrevista ao site UOL, a pastora se defendeu dos ataques recebidos.

As imagens foram gravadas por um fiel que assistia ao culto. De acordo com Adriele, o conteúdo publicado foi descontextualizado, e que tudo não teria passado de um mal-entendido. A religiosa afirmou que usava uma linguagem popular durante seus cultos para que todos entendessem, e que jamais incitaria a violência dos pais diante dos filhos.

Publicidade

A frase é uma metáfora para dizer ‘olha, você precisa mostrar quem é que manda em casa, não pode deixar seu filho fazer o que quiser, tem que mostrar qual é a regra”, explicou Adriele, que é casada e mãe de três filhos. A pastora afirmou que não teria nada a esconder.

Publicidade

Nas redes sociais, alguns internautas questionaram a religiosidade da pastora após a fala, porém, Adriele afirmou que os ataques recebidos não a abalavam. A pastora garantiu que todos os fiéis que assistiram ao culto entenderam a mensagem que ela quis passar.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade