in

Vacinas para Covid-19 podem aumentar risco de HIV, alertam cientistas

O adenovírus geneticamente modificado Ad5 é o responsável pela situação, alertado em estudos anteriores durante desenvolvimento de outras vacinas.

Bloomberg / Colaborador/Getty Images

Pesquisadores dos Estados Unidos estão alertando a comunidade científica internacional a respeito dos riscos que podem ser ocasionados com o uso de vacinas produzidas para o combate do coronavírus. De acordo com os estudos, existe uma grande potencialidade para o aumento das chances de contágio por outro vírus, o HIV, causador da Aids.

Publicidade

Ao menos quatro vacinas ainda em estágio de testes apresentam risco de contágio pelo HIV nos pacientes. É o que alerta a professora Susan Buchbinder, que atua na University of California San Francisco. A cientista, com sua equipe de pesquisadores, está acostumada a lidar com efeitos colaterais deste tipo. No passado, enquanto trabalhavam para o desenvolvimento de uma vacina contra o HIV, o resultado acabou sendo o aumento da vulnerabilidade à doença após o uso do imunizante, assim como se avalia no caso da Covid-19.

“Estamos preocupados que o uso de um vetor Ad5 para imunização contra SARS-CoV-2 possa igualmente aumentar o risco de aquisição do HIV-1 entre os homens que recebem a vacina”, avalia a equipe liderada por Buchbinder.

Publicidade

Um dos vetores mais comuns usados ​​em pesquisas médicas é um adenovírus geneticamente modificado, um grupo de vírus de DNA que geralmente causa doenças oculares e respiratórias. Estudiosos identificaram quatro candidatas que estão passando por testes clínicos ao redor do mundo e alertam para que a informação da possibilidade de aumento do risco de infecção seja alertada.

Publicidade

Embora sejam raros os casos de adenovírus que aumentem as chances de contágio pelo HIV, no caso do chamado Ad5 (adenovírus recombinante tipo 5), a sua utilização na vacina produzida pela equipe de Buchbinder tornou os pacientes ainda mais suscetíveis ao contágio do que antes, permitindo que o agente infeccioso consiga se firmar no organismo humano de maneira muito mais acelerada.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Henrique Furtado

Henrique Furtado é um redator com vasta experiência no jornalismo online. Solidificou sua carreira com coberturas marcantes sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo ao longo da última década. Suas especialidades englobam desde os bastidores da política, versando por esportes, atualidades e, claro, tudo o que acontece no mundo dos famosos. Está sempre ligado para entregar, em primeira mão, as últimas novidades para os seus leitores, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Contato: henriquefurtado.jornalista@gmail.com