in

Idoso com hérnia gigante de 30kg entra em depressão e perde vontade de viver; SUS adia a cirurgia

A família está entristecida pelo fato dos médicos dizerem que o problema do paciente não é considerado grave.

Arquivo pessoal da família do paciente/G1 | Divulgação

Um idoso de 71 anos aguarda ansiosamente por uma cirurgia para a retirada de uma hérnia que já pesa cerca 30 kg. O conteúdo herniário se desenvolveu de tal modo que já toma conta de quase todo o abdômen. O paciente e a família moram em Praia Grande, no litoral de São Paulo, e o problema foi descoberto há cerca de quatro anos, quando começou a surgir feridas na região.

Publicidade

“Começou do tamanho de um limão. Aquilo estourava, infeccionava, meu pai tinha febre e em seguida a ferida fechava, e desse jeito foi crescendo sem sabermos o que era”, explicou a filha em entrevista ao G1.

A família está entristecida pelo fato de, ao longo dos últimos três anos, os médicos terem dito que o problema não era grave, ao contrário do que está se mostrando. Antes do diagnóstico preciso, foram feitos diversos exames médicos até que profissionais do Hospital Guilherme Álvaro, em Santos, constataram a presença da hérnia.

Publicidade

O conteúdo herniário está tão grande que chega a limitar a movimentação do paciente. Para se sentar, por exemplo, é necessária uma base apenas para repousar a hérnia, para que não ocorram novos ferimentos, capazes de ampliar ainda mais o problema.

Publicidade

“Ele já não faz mais nada, mal sai na rua e não consegue fazer as necessidades sem ser no banho”, completa a filha. Ao longo da semana, o paciente chega a ficar de dois a três dias inteiros apenas deitado, sem sair da cama. Os problemas de saúde acabaram acarretando uma depressão.

Publicidade

Operação adiada

A família reclama ainda da demora pela marcação de uma cirurgia. O idoso chegou a perder 50 kg, por exigência médica, mas o procedimento voltou a ser adiado da mesma forma. “Mudaram para dezembro, depois para janeiro, fevereiro. E em março veio a pandemia”, declara a familiar. Segundo ela, é triste ouvir dos médicos que o caso de seu pai não é considerado grave.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Henrique Furtado

Henrique Furtado é um redator com vasta experiência no jornalismo online. Solidificou sua carreira com coberturas marcantes sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo ao longo da última década. Suas especialidades englobam desde os bastidores da política, versando por esportes, atualidades e, claro, tudo o que acontece no mundo dos famosos. Está sempre ligado para entregar, em primeira mão, as últimas novidades para os seus leitores, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Contato: henriquefurtado.jornalista@gmail.com