in

Cientistas fazem descoberta inédita e encontram órgão ainda desconhecido no centro da cabeça humana

A descoberta foi feita enquanto os médicos examinavam pacientes com câncer.

Olhar Digital

Os médicos da Holanda fizeram uma nova descoberta anatômica que está sendo considerada como algo surpreendente, que pode mudar completamente o que se pensava sobre o crânio de um indivíduo. Durante a realização de um exame, os profissionais conseguiram encontrar um desconhecido conjunto de glândulas salivares que estavam escondidas no interior da caixa craniana humana, uma coisa que jamais foi notada durante séculos.

Publicidade

A descoberta dos cientistas aconteceu enquanto estavam examinando pacientes com câncer de próstata. Durante uma averiguação avançada, chamada PSMA PET/CT – que é uma combinação de infeções de glicose radioativa para destacar tumores no organismo, foram encontradas atrás da nasofaringe um conjunto de glândulas que até então eram desconhecidas.

Um dos médicos que participou da descoberta, Wouter Vogel, disse: “Até onde sabemos, as glândulas ou mucosas na nasofaringe são microscopicamente pequenas e estão uniformemente espalhadas por toda a mucosa. Então imagine nossa surpresa quando as encontramos”.

Publicidade

As glândulas que foram citadas pelos especialistas são as responsáveis pela produção de saliva necessário para o bom funcionamento do sistema digestivo de uma pessoa, com a maior parte desse fluido sendo produzido pela principais glândulas, sublingual, parótida e submandibular. No caso da boa, essas glândulas soa menores e dificilmente se consegue ver usando um microscópio.

Publicidade

A descoberta pelos cientistas é um par bem maior e pode ser considerado um quarto conjunto de glândulas de saliva. A sua localização está atrás do nariz e acima do palato, bem próximo ao centro da cabeça. Os médicos deram o nome de glândulas tubarias, por causa de sua localização que fica acima do tórus tubário.

Publicidade

Apesar dos estudiosos admitirem que sejam necessárias a realização de pesquisas adicionais, eles falaram que a nova descoberta pode ser importante, pois mostra um local a ser evitada nos tratamentos de radiação que são aplicados em pessoas com câncer, já que as glândulas de saliva são extremamente suscetíveis a sofrer danos na terapia.

Publicidade
Publicidade
Publicidade