in

Deboche e agressividade: após vídeo viral, psiquiatra explica até quando é saudável a briga entre irmãos

Vídeo recente de festa de aniversário levantou debate sobre o comportamento das crianças.

Metrópoles | Divulgação

Na última semana, um vídeo de uma festa de aniversário viralizou nas redes sociais. A pequena Maria Eduarda, de 3 anos, cantava os parabéns em sua festa e estava prestes a assoprar a vela de seu bolo. Porém, a irmã, Maria Antônia, de 6 anos, assoprou a vela antes da aniversariante. Maria Eduarda, por sua vez, puxou o cabelo da irmã com agressividade.

Publicidade

Maria Antônia olhou a irmã com ar de deboche enquanto a mesma chorava copiosamente. As imagens foram compartilhadas milhares de vezes nas redes sociais. Alguns internautas acharam a cena engraçada, outros, chamaram a atenção para o comportamento das duas irmãs.

De acordo com o site Metrópoles, o psiquiatra Alisson Marques Teixeira explicou o comportamento das crianças e garantiu que não haviam motivos para preocupação. O profissional afirmou que o relacionamento entre irmãos envolve uma teia complexa de sentimentos e emoções, o que, segundo ele, possui papel primordial na formação da personalidade da criança.

Publicidade

Nós somos seres competitivos de diversas formas. A relação com o irmão é o primeiro espaço em que a criança pode vivenciar essas emoções, podendo, dessa forma, experienciar o ciúme e rivalidade na tentativa de compreender o mundo atual”, disse o médico, que ainda explicou que é normal que o comportamento do primogênito mude com a chegada do irmão mais novo.

Publicidade

Para o psiquiatra, é comum que a relação de proximidade contribua para a existência de conflitos. Alisson Marques disse, ainda, que o alerta só deve ser ligado a partir que o comportamento coloque alguma das partes em risco. O profissional ressalta a importância do acolhimento e do diálogo por parte dos pais.

Publicidade
Publicidade