in

As sequelas causadas pela Covid-19 que grande parte da imprensa não comenta

Além dos riscos causados pela doença, foram descobertas novas sequelas que não estão sendo difundidas na imprensa.

Getty Images/ BBC

Se existe um assunto que dominou o ano de 2020, este é a Covid-19, uma doença que já matou mais de 150 mil pessoas somente no Brasil e já se mostrou um problema difícil de ser resolvido, uma vez que o isolamento social não está sendo 100% aderido e a vacina ainda levará certo tempo para ser descoberta.

Publicidade

E, como se o risco de perder a vida para esta doença não fosse aterrorizante o suficiente, foram descobertas duas novas sequelas causadas pela doença e que ainda não está sendo amplamente divulgada como deveria.

De acordo com cientistas, uma das sequelas da Covid-19 pode ser a perda de audição repentina. Os estudiosos ainda apontam que a doença pode causar zumbidos e até perda total da audição.

Publicidade

Os estudos ainda apontam que a manifestação é rara, mas é importante ser analisada por ser uma complicação possível. De acordo com um artigo publicado pela revista BMJ Cases Report, um homem de 45 anos, que possui asma, foi internado em UTI após fortes sintomas da doença. Após se recuperar da doença, ele passou a ouvir zumbidos fortes e perdeu totalmente a audição do ouvido esquerdo.

Publicidade

Covid-19 e a perda de memória

Outra sequela que a doença pode deixar é a chamada névoa cerebral. Em um artigo publicado pelo The New York Times, já existe um número crescente de pessoas com sequelas na memória após pegar a doença.

Publicidade

Um ex-paciente chegou a dizer em entrevista ao jornal que vê fotos de uma viagem que fez para Paris e não consegue se lembrar de nada. O fenômeno está sendo estudado e incluem, além da perda da memória, confusão mental, falta de foco, tontura e dificuldade para entender algumas palavras.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Matheus Feitosa

Escrevo sobre TV, famosos e entretenimento desde 2011.

A atenção nos detalhes é o que nos faz prosperar.