in

Auxílio Emergencial e Bolsa Família: mais de 500 candidatos milionários receberam benefícios na pandemia

Benefícios têm sido utilizados por políticos milionários nos últimos meses e situação causa revolta

Agência Brasil

O Auxílio Emergencial se tornou um alento para milhares de brasileiros no cenário de crise imposto pela pandemia do coronavírus. No entanto, muitas pessoas que não se enquadravam nos pré-requisitos estabelecidos pelo Ministério da Cidadania receberam o benefício.

Publicidade

De acordo com informações do UOL, divulgadas nesta segunda-feira (05), mais de 500 candidatos milionários das eleições deste ano receberam Auxílio Emergencial e o Bolsa Família entre os meses de maio e junho. O índice foi constatado depois de um cruzamento de dados dos candidatos das eleições municipais. Foram considerados candidatos cujo patrimônio é de R$ 1 milhão ou mais. 

Após a constatação, o UOL foi atrás de alguns candidatos para ouvir o lado deles. A maioria afirmou que não solicitou o benefício, ou teve os dados utilizados de forma indevida, nunca recebendo nenhum tipo de pagamento do governo.

Publicidade

Houve também quem admitisse a solicitação, mesmo possuindo bens avaliados em R$ 1 milhão ou mais. Um deles foi o candidato a prefeitura de Itapuca (RS), Kinho Pancotte. O político, que declarou ter mais de R$ 8 milhões em bens em seu nome, é agricultor, mas mesmo assim disse que quando o governo anunciou o pagamento do benefício não titubeou para solicitar o Auxílio Emergencial, se dizendo prejudicado pela crise. 

Publicidade

“O governo liberou para produtor rural, não é? Eu tive uma quebra de safra grande neste ano. Resolvi pedir”, disse Kinho ao UOL.

Publicidade

Arrependido

Segundo o Portal da Transparência, Kinho Pancotte recebeu três cotas do Auxílio Emergencial, um total de R$ 1.800. Em setembro, o político resolveu devolver o dinheiro ao governo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade