in

Doria traz notícia animadora para milhares de brasileiros e dá detalhes sobre vacinação contra a Covid-19

Vacinação contra a Covid-19 já tem data estudada para ser iniciada em São Paulo.

Divulgação - Governo de São Paulo

Principal epicentro da pandemia do coronavírus no Brasil, o estado de São Paulo será um dos primeiros locais do mundo a ter vacinação contra a Covid-19 no mundo, ao menos foi o que garantiu o governador João Doria, em coletiva realizada nesta quarta-feira (30). 

Publicidade

Durante a entrevista, Doria assinou um contrato de fornecimento de 40 milhões de doses da CoronaVac, imunizante desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. A expectativa é que o lote das vacinas chegue em São Paulo no mês de dezembro, com os profissionais da saúde que figuram na linha de frente no combate à pandemia sendo vacinados de forma prioritária no dia 15 de dezembro. 

A solenidade contou com a presença do vice-presidente mundial da Sinovac, Weining Meng. O acordo representa um custo de 90 milhões de dólares (cerca de R$ 507,8 milhões na cotação atual).

Publicidade

Até o mês de fevereiro de 2021, mais 14 milhões de doses chegarão à São Paulo, representando um outro contrato, totalizando assim 60 milhões de doses. Cerca de cinco milhões de doses, que servirão como matéria-prima, serão entregues ao Instituto Butantan em outubro.

Publicidade

O material será processado e se tornará vacina. As doses ficarão armazenadas até que o ensaio clínico de fase 3 seja concluído até o dia 15 de outubro, e haja a liberação das autoridades sanitárias do país, após a comprovação da eficiência do imunizante chinês. 

Publicidade

Duas doses

Segundo o secretário de Saúde do estado, Jean Gorinchteyn, a CoronaVac será aplicada em duas doses com intervalo de 14 dias.

“Temos a sensação de que esse processo de vacinação se dará pelo SUS, portanto, essa distribuição ocorrerá de forma mais rápida”, disse Jean.

Ele ainda afirmou que a vacinação contra a Covid-19 deve seguir o mesmo protocolo aplicado no imunizante contra a Influenza, onde os profissionais de saúde e as pessoas que são do grupos de risco, possuem prioridade na aplicação da vacina.

Publicidade