in

Governo anuncia substituto do Bolsa Família e Auxílio Emergencial; dinheiro do Fundeb deve ser utilizado

Depois de proibir falar na criação de programa social, Jair Bolsonaro sinalizou positivamente para o Renda Cidadã.

Agência Brasil

Depois de algumas idas e voltas, o governo federal anunciou nesta segunda-feira (28), que um novo programa social deve ser lançado em breve. Após o fracasso e polêmica por conta de divergências com o Renda Brasil, um novo programa rebatizado de Renda Cidadã será oficializado como substituto de Bolsa Família e Auxílio Emergencial.

Publicidade

O dinheiro para financiar o novo programa social, no entanto, deve ser assunto de muita polêmica ainda, uma vez que o governo federal pretende utilizar parte dos recursos do novo Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), bem como de precatórios.

“Estamos buscando recursos com responsabilidade fiscal e respeitando a lei do teto de gastos. Nós queremos demonstrar à sociedade e ao investidor que o Brasil é um país confiável”, afirmou Jair Bolsonaro em coletiva realizada nesta manhã no Palácio da Alvorada, após reunião do chefe do Executivo com ministros de Estado e líderes partidários.

Publicidade

Indefinição

Assunto de polêmica no Renda Brasil, os valores do Renda Cidadã não foram revelados de forma oficial pelo governo. De acordo com o blog do analista político Gerson Camarotti, do GloboNews, as cifras devem ficar entre R$ 200 e R$ 300. O novo programa servirá como uma espécie de continuação do Auxílio Emergencial para os brasileiros e paralelamente fica como uma “patente” registrada do governo Jair Bolsonaro, já visando as próximas eleições presidenciais, que ocorrem em 2022. 

Publicidade

Os textos do Renda Cidadã serão apresentados para outras bancadas do Congresso para aprovação. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade