in

Auxílio Emergencial: Bolsonaro faz alerta sobre benefício e dá novas explicações sobre pagamento digital

Benefício já representa um gasto de quase R$ 200 bilhões aos cofres públicos até o momento.

Agência Brasil - Montagem: Cido Vieira

Em sua tradicional live semanal, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a falar sobre o Auxílio Emergencial nesta quinta-feira (17). O benefício, que tem sido um alento para os brasileiros, foi prorrogado mais um vez recentemente e será vigente até o mês de dezembro. Na visão do chefe do Executivo, o benefício criado desde o início da pandemia não é “dinheiro do povo” como muitos dizem.

Publicidade

Nunca na história do Brasil, o governo federal distribuiu tanto dinheiro para a população com um programa. Para Bolsonaro, as altas cifras gastas com o Auxílio Emergencial representa um endividamento.

“Alguns dizem que é dinheiro do povo, mas não é. É endividamento. Não tínhamos isso em caixa”, afirmou o presidente, ligando a alta do arroz e de outros produtos da cesta básica ao fato de ter mais dinheiro em circulação por conta do Auxílio.

Publicidade

Presente na live, o presidente da Caixa afirmou que o Auxílio já representa um gasto de R$ 197 bilhões aos cofres do governo federal.

Publicidade

Bolsonaro ainda disse que o motivo pelo qual a Caixa Econômica Federal vem efetuando os pagamentos do benefício via conta digital se deve ao fato da falta de papel-moeda, algo que segundo ele acabou sendo solucionado com o lançamento da nota de R$ 200, que já está em circulação no país.

Publicidade

“A gente tava com problema de papel, veio a nota de R$ 200, acabou o problema, por isso o pagamento digital, imagina uma corrida ao banco, seria mais R$ 50 bilhões por mês. Vi muita gente comentando que a intenção do governo era colaborar com a corrupção”, disse o presidente.

Início dos pagamentos extras

Na última quinta-feira (17), a Caixa Econômica Federal iniciou os pagamentos da sexta parcela do Auxílio Emergencial – a primeira cota de R$ 300 – aos beneficiários que integram o Bolsa Família. Brasileiros que fazem parte do programa e possuem o dígito final 1 do NIS (Número de Identificação Social) foram os contemplados. O cronograma para este grupo vai até o dia 30 de setembro. 

Para os demais beneficiários, a Caixa Econômica Federal ainda não divulgou o cronograma de pagamentos. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade