in

Auxílio Emergencial: governo promove ‘pente-fino’ para efetuar pagamentos das novas parcelas

Benefício teve a sua prorrogação anunciada por Bolsonaro na última semana.

UOL

Válvula de escape dos brasileiros em tempos de pandemia do coronavírus, o Auxílio Emergencial teve mais uma vez a sua prorrogação anunciada pelo governo federal. O benefício foi estendido até dezembro, contudo, o Ministério da Cidadania vem fazendo uma minuciosa análise filtrando cadastros no intuito de evitar fraudes nos pagamentos.

Publicidade

A pasta tem como objetivo excluir pessoas que não precisam mais do benefício, como por exemplo, brasileiros que estavam desempregados, mas que já conseguiram outro emprego neste período de pandemia. Diante da nova prorrogação dos R$ 300, este tipo de “pente-fino” será ainda mais intenso.

De acordo com o Ministério da Cidadania, a postura visa fazer com que o recurso chegue para aqueles que realmente precisam e cumprem todos os requisitos estabelecidos pelo programa.

Publicidade

“Uma rede interligada de órgãos de Estado garante a maior lisura possível ao processo de concessão dos benefícios, com acordos de cooperação técnica e parcerias com Advocacia Geral da União, Controladoria Geral da União, Conselho Nacional de Justiça, Defensoria Pública da União, Tribunal de Contas da União, Abin, Polícia Federal e Gabinete de Segurança Institucional”, afirma o ministério.

Publicidade

Cronograma

Passada quase uma semana do anúncio do presidente Jair Bolsonaro, o governo federal ainda não anunciou os calendários de pagamentos acerca das novas parcelas. Ao que tudo indica, os beneficiários do Bolsa Família continuarão tendo prioridade no recebimento das parcelas, com cronograma previsto para ser iniciado no dia 18 de setembro.

Publicidade

Já os demais beneficiários, inscritos no programa via site, aplicativo ou Cadastro Único, que receberam a primeira parcela em abril, terão calendário se iniciando muito possivelmente na última semana deste mês.

A Medida Provisória 1000/2020, que oficializa a prorrogação do Auxílio Emergencial, foi publicada na última quinta-feira (03), e o texto apresentado traz uma observação que deixou milhares de brasileiros preocupados, uma vez que o Ministério da Cidadania sinalizou que só pagará o benefício até o mês de dezembro, cenário este que não atingiria por igual as novas quatro parcelas para todos os beneficiários. 

Publicidade
Publicidade