in

Auxílio Emergencial: presidente Bolsonaro toma medida importante para garantir continuidade do benefício

Calendário das novas parcelas ainda não divulgado oficialmente, mas deve ser iniciado pelos beneficiários do Bolsa Família.

Agência Brasil - Montagem: Cido Vieira

Alento dos brasileiros em tempos de crise por conta da pandemia do coronavírus, o Auxílio Emergencial teve a sua nova prorrogação oficializada na última terça-feira (1º). Para garantir a manutenção do benefício, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou um Medida Provisória (MP) para abrir um crédito extraordinário em favor do Ministério da Cidadania.

Publicidade

O montante de R$ 67,6 bilhões serão destinados à pasta para que seja efetuado o pagamento das quatro parcelas extras do Auxílio Emergencial, que terão o valor fixo de R$ 300 cada. Além disso, o governo federal editou a medida provisória do benefício, colocando mais algumas regras como requisitos. 

As duas medidas foram publicadas no Diário Oficial da União desta quinta (03). As novas parcelas do benefício serão pagas a partir deste mês para alguns grupos “independentemente de requerimento, de forma subsequente à última parcela recebida do auxílio emergencial”.

Publicidade

Mães chefe de família, continuam recebendo duas cotas do benefício. No entanto, ao invés dos R$ 1.200, estas receberão o valor de R$ 600.

Publicidade

O beneficiário do Bolsa Família tem seu valor calculado pela diferença entre o montante que a família receberia com o Auxílio e o quanto recebe através do programa social. 

Publicidade

“O valor de R$ 600, como vínhamos dizendo, é muito pra quem paga, no caso o Brasil. E, podemos dizer que não é 1 valor suficiente para todas as necessidades, mas basicamente, atende”, disse o presidente Jair Bolsonaro, ao explicar a redução do Auxílio.

Cronograma

O calendário das novas parcelas do benefício ainda não foram divulgadas. Ao que tudo indica, integrantes do Bolsa Família continuarão tendo prioridade na ordem do recebimento, e os pagamentos devem ser iniciados para este grupo a partir do dia 18 de setembro, baseando-se no dígito final do NIS (Número de Identificação Social).

Publicidade
Publicidade
Publicidade