in

Covid-19: estudo faz alerta impactante sobre casos de crianças assintomáticas que podem atrasar volta às aulas

Volta às aulas no Brasil segue cada vez mais incerta por conta dos riscos de contaminação da Covid-19.

Notícias ao Minuto

A pandemia do coronavírus segue assolando vários países em escala global. Em algumas regiões que já registraram um elevado número de casos, a volta às aulas tem mostrado um novo cenário preocupante, e que esquenta os debates se é plausível ou não reabrir as escolas.

Publicidade

Um estudo promovido pelo Hospital Nacional Infantil de Washington constatou que crianças infectadas com a Covid-19 podem transmitir a doença durante semanas, mesmo estando assintomáticas, ou seja, não apresentando nenhum tipo de sintomas.

O resultado deste levantamento vai de encontro com o que tinha sido apontado em um estudo anterior, quando cientistas de Boston comprovaram que crianças e adolescentes tinham cargas virais altas.

Publicidade

Este novo estudo promovido pelo HNI foi publicado no dia 28 de agosto no site da revista médica Jama Pediatrics, sendo conduzido por Roberta L. DeBiasi e Meghan Delaney. Ao todo, 91 crianças em 22 hospitais da Coreia do Sul foram analisadas.

Publicidade

“Ao contrário do sistema de saúde dos EUA, quem testa positivo para Covid-19 na Coreia do Sul permanece no hospital até ter se recuperado completamente da infecção”, explica DeBiasi. 

Publicidade

Segundo o estudo, 22% das crianças não apresentaram sintomas durante toda a infecção. Inicialmente, 20% se mostraram assintomáticos, mas desenvolveram sintomas mais tarde, e outros 58% apresentaram sintomas desde a testagem positiva para a doença.

De acordo com o estudo, 22% das crianças não desenvolveram sintomas durante toda a infecção; 20% começaram assintomáticas, mas mais tarde desenvolveram sintomas; e 58% tiveram sintomas desde o primeiro teste positivo.

Cenário incerto

Essa capacidade altíssima de crianças e jovens contaminarem adultos liga o alerta acerca do retorno às aulas. No Brasil, apenas cinco estados cogitam regressar com aulas presenciais este ano: SP, RS, SC, PA e RJ.

Publicidade
Publicidade